A nossa luta é pela VIDA! A nossa luta é pela VIDA!

Diversos, Notícias | 26 de abril de 2013

 

Sindipetro/MG

 

A terceirização é o principal fator que mata no Sistema Petrobrás. Desde 1995, 327 trabalhadores perderam a vida e, desse total, 263 eram terceirizados. Esse número é o reflexo da ganância, que coloca a vida em segundo plano para engordar o lucro da empresa. Aliado a isso, temos as gestões incompetentes, que não são capazes de garantir um ambiente de trabalho seguro. Desta forma, o trabalho, que é um meio de sobrevivência, acaba por se tornar uma arma contra o trabalhador.

 

Aqui na Regap, essa realidade não tem sido diferente, pois o número de acidentes não para de crescer. Em 2013, cinco já foram computados, e, somente neste mês, dois acidentes ocorrem no Coque deixando três trabalhadores feridos. No dia 02 de abril, o vazamento de dissulfeto em forma de jato atingiu o técnico de operação acertando-lhe o olho. Já no dia 15, dois operadores sofreram queimaduras, sendo que um, ainda está internado. 

 

No ano passado, registramos 15 e, em todos eles, a ação imediata dos trabalhadores evitou uma grande tragédia. Porém, não podemos permitir que situações perigosas tornem corriqueiras e comprometam a nossa segurança. A nossa luta é, e sempre será, por um ambiente seguro de trabalho. Dar essa condição para todos os trabalhadores, sejam eles próprios ou terceirizados, é obrigação da Petrobrás. A FUP e seus sindicatos reintera a sua luta em defesa da vida e espera que a primeirização seja  uma das metas da empresa. 

 

Índice de Acidentes 

 

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), 2,34 milhões de mortes acontecem em decorrência do trabalho em todo o mundo, sendo 2,02 milhões (86,3%) causadas por diversos tipos de doenças profissionais e 321 mil em consequência de acidentes. São 6.300 mortes diárias relacionadas ao trabalho, 5.500 causadas por doenças. No Brasil, segundo dados do Ministério da Previdência Social, em 2011, foram registrados 711.164 acidentes de trabalho, com 2.884 mortes. Isto significa que a cada dia acontecem 1.950 acidentes de trabalho, com oito vítimas fatais no país.

 

28 de abril – Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho

 

O Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes de Trabalho surgiu no Canadá por iniciativa do movimento sindical, como ato de denúncia e protesto contra as mortes e doenças causadas pelo ambiente de trabalho. A data, 28 de abril, foi escolhida em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos em 1969. No Brasil, o dia foi reconhecido em maio de 2005 pela Lei nº 11.121 e, desde então, vem se consolidando como uma data de reflexão e luta em torno do tema.
A nossa luta é pela VIDA!