O ex-cotur e a oposição O ex-cotur e a oposição

Diversos, Notícias | 17 de maio de 2013

O ex-cotur do G.4 anunciou que era um cão perdigueiro, sem ter as qualidades do animal. A oposição anunciou que conseguiu o afastamento do cotur sem ter mobilização ou força para isso. São as duas faces da mesma moeda: de um lado o autoritarismo e do outro a manipulação. Nos dois casos, quem sai perdendo é o trabalhador. O autoritarismo do chefe é sempre nefasto para o ambiente de trabalho. A mentira da oposição leva os mais crédulos e ingênuos a fazerem uma avaliação errada da luta dos trabalhadores. É pura e simplesmente a política em seu nível mais baixo. O Sindipetro/MG, quando negocia qualquer reivindicação ou demanda dos petroleiros, tem o respaldo de todos os trabalhadores da Regap. Toda conquista é fruto dessa massa de homens e mulheres que a direção da refinaria leva em consideração quando senta para negociar com o Sindipetro/MG. Respaldo, que todos sabem que a oposição não tem.

UMA LONGA NEGOCIAÇÃO

O sindicato vem desde o ano passado negociando com a direção da Regap sobre as atitudes do ex-cotur. No ano passado, ele recepcionou um grupo de visitantes na refinaria e, na ocasião, atacou as mulheres que são operadoras. Com a designação dele para cotur, a gerência prometeu acompanhar de perto o trabalho dele no turno. O sindicato começou a cobrar uma atitude mais dura da direção, quando começaram a aparecer as primeiras denúncias do G.4. Depois de algumas rodadas de negociações, o gerente geral se dispôs a afastar o cotur. O sindicato optou por esperar o fato consumado para anunciar, pois sempre pode haver retrocessos até o último minuto. Mas essa decisão vazou antes da hora. A “oposição” soltou uma nota anunciando a retirada do cotur, como se ela tivesse negociado. Porém, a gerência geral e o RH da Regap, afirmaram que nunca houve reunião formal com membro da oposição. Tentaram faturar politicamente numa vitória que na prática foi graças aos trabalhadores, principalmente os do turno. A direção do sindicato fez sua obrigação: negociou a demanda dos operadores com a gerência da Regap, assim, todos tiveram uma grande conquista!

ESTATUTO DO SINDICATO

A oposição, ainda tentando faturar politicamente na saída do cotur, convocou uma reunião com o G.4. Esta reunião foi chamada por eles, indevidamente, de assembleia. A direção do sindicato compareceu a esta reunião fornecendo o carro de som e prestando os esclarecimentos pedidos pelos presentes. No ato foi explicado que o ESTATUTO DO SINDIPETRO/MG consta as regras para a convocação de assembleia. Este estatuto foi elaborado depois de longas discussões com a categoria, que, inclusive, contou com a participação de alguns membros da oposição. Portanto, é um documento altamente democrático. O estranho é um grupo que se diz de oposição não conhecer um documento tão importante e, ainda por cima, comete um erro tão grave: não sabe como convocar uma assembleia! Nessa reunião, os membros da oposição tentaram tirar movimentos como “hora cheia” e cortes de rendição com grupo 4 e grupo 3 para forçar a retirada de supervisores, o que acabou não sendo colocado em votação. Mas, querendo faturar mais uma vez em cima do afastamento do cotur, o membro “famoso” da oposição chegou a dizer que ele era f …. É a prova de que são mesmo uma “esquerda infantil” e imaturos politicamente.

O SINDICATO É QUE REPRESENTA OS PETROLEIROS

Essa oposição vem sendo derrotada sucessivamente na eleição para a diretoria do sindicato. A categoria sabe reconhecer os demagogos, aqueles que não têm nada a oferecer. Do lado da atual direção, a categoria teve vitórias expressivas, tanto a nível local, quanto nacional, sem fazer demagogia ou inventar mentiras. Ano que vem tem eleição para a diretoria do sindicato e, agora, estamos em eleições para a Petros. Por isso, eles querem aparecer para os petroleiros. Os trabalhadores já conhecem essas artimanhas e sabem que além da “malandragem política”, eles não têm nada a oferecer.

Sindipetro/MG

O ex-cotur e a oposição