Um filhote do cão perdigueiro Um filhote do cão perdigueiro

Diversos, Notícias | 17 de maio de 2013

Todo ditador tem seus seguidores. Normalmente os subalternos costumam ser piores que o chefe autoritário de plantão. Era assim nos anos 90 com o “faro fino”. Cada chefete, cotur, supervisor, que queria mostrar “serviço” para o “faro fino”, tentava ser pior que o SUPRO. Essas coisas também voltaram a repetir no “reinado” do “cão perdigueiro” em pleno século 21. Um supervisor do G.4 do TE resolveu imitar seu superior e passou a perseguir os operadores de sua área. Segue a mesma cartilha autoritária do seu superior, o “cão perdigueiro”. Para se ter uma ideia, havia uma prévia do GD. Mas na hora de fazer o lançamento das notas, ele inconformado com o resultado, rebaixou as mesmas, atitude que deixou todos os trabalhadores revoltados.

Na ditadura militar, governo Collor e FHC, eram considerados os melhores supervisores ou chefes de uma maneira geral, os que perseguiam os trabalhadores. Geralmente eram os mais incompetentes. Escondiam sua incapacidade técnica e humana no autoritarismo e perseguição àqueles que os contestavam, porque conheciam a área que trabalhavam . Se o cão é bravo tem que andar com focinheira. Mas sempre é bom lembrar que a Regap não é um canil. Chega de autoritarismo, exigimos diálogo e respeito!

Sindipetro/MG

Um filhote do cão perdigueiro