Eleições Petros 2013: o nosso compromisso é com a verdade! Eleições Petros 2013: o nosso compromisso é com a verdade!

Diversos, Notícias | 22 de maio de 2013

A chapa da oposição que disputa as eleições da Petros está fazendo campanha para votar contra os acordos assinados pela FUP e defendem um Plano Petros BD. Porém, esses acordos, que agora eles dizem ser rebaixados, nunca foram rejeitados pelos seus sindicatos, inclusive, são assinados desde 2003 sem mexer, sequer, uma vírgula.

Vale lembrar, que todos os acordos assinados pela FUP foram apreciados em assembleias e aprovados pela categoria. Além disso, toda negociação é democrática e nenhuma decisão é tomada sem o consentimento dos petroleiros. Mas a oposição, nunca procurou negociar, exatamente porque não tem condições para isso. Na mesa de negociações, é sempre contra os acordos, pois defende o reajuste da ativa para os aposentados e pensionistas, no intuito de ganhar votos, como agora, nas eleições da Petros. Dizer que a empresa irá dar o mesmo reajuste para os aposentados e pensionistas, além da PLR, mais o Plano Petros BD, é querer enganar a categoria com propostas inatingíveis, na expectativa de convencer alguém.

Plano Petros

O Plano Petros foi fechado arbitrariamente pelo governo FHC em 09 de agosto de 2002 e, por decisões políticas e/ou jurídicas nunca foi reaberto. Entretanto, a FUP e seus sindicatos junto com a categoria, conquistou o Plano Petros 2. Hoje, ele é oferecido para todos as empresas do Sistema Petrobrás (BR Distribuidora, Transpetro, TBG, PBIO Combustível etc e também para os trabalhadores próprios da Petros).

Para se ter uma ideia do que isso representa, o Banco Bradesco e Itaú, os maiores conglomerados financeiros do país, com lucros superiores inclusive ao de empresas do holding da Petrobrás, não têm plano de previdência para os seus empregados, mas os oferecem ao mercado. Isso porque, na visão dos bancos, a previdência complementar par funcionários é apenas custo.

Cabe ainda ressaltar, que o Acordo de Obrigações Recíprocas (AOR) assinado em 2007, injetou uma grandeza de R$ 5,734 bi na Petros. Foi este acordo que possibilitou o saneamento do plano. Diferentemente do que andam dizendo, alguns itens foram negociados, sendo que, o restante do passivo continua na justiça. E até o momento, não houve nenhum avanço nos itens que permanecem na justiça.
Outra conquista importante foi a contribuição paritária plena (Petrobrás e assistido/beneficiário). Antes, a Petrobrás contribuía no Plano Petros 1 de acordo com a folha de pagamento da ativa. Porém, com o fechamento do plano e o aumento do número de aposentados, a empresa passou a contribuir cada vez menos. E quando se aposentasse o último contribuinte do Plano Petros 1, a empresa não teria mais nenhum compromisso com o plano. Com o AOR, a cada um real da ativa e aposentados, a Petrobrás passou a contribuir com mais um real. Isso possibilitou um aporte extra de R$ 2,088 bi. Se somarmos tudo, até o presente momento, o valor é na ordem de R$ 7,822 bi.

Portanto, temos a convicção que este foi o maior acordo de uma categoria no sistema previdenciário. Sendo assim, não se deixe influenciar pelas palavras de ordem e mentiras da oposição. Nós precisamos de representantes comprometidos com a verdade e a transparência. A FUP e o Sindipetro/MG pedem o seu voto para os companheiros que junto com a categoria, sanearam a Petros e conquistou o Plano Petros 2 para o todo o Sistema Petrobrás.

Sindipetro/MG

 

 

Eleições Petros 2013: o nosso compromisso é com a verdade!