Começa a IV Plenafup Começa a IV Plenafup

Diversos, Notícias | 7 de junho de 2013

Sob o tema “Trabalhadores do campo e da cidade em defesa da democracia” , cerca de 150 petroleiros e petroleiras participam da IV  Plenafup, que começou na noite desta quinta-feira, 06,no assentamento do MST em Caruaru (PE).  Os participantes foram recebidos  pelo grupo “Dois Irmãos de Caruaru”que irreverentemente apresentou as músicas regionais ao som dos tradicionais pífanos.

A LUTA DO MST

A luta pelo Assentamento Contestado, no Paraná, foi lembrado durante a abertura. Em vídeo, os congressistas puderam rever a resistência dos trabalhadores em defesa da terra. Além disso, os presentes tiveram a oportunidade de recordar a 1ª Plenafup, que aconteceu em 2009 no lugar.

SOLENIDADE DE ABERTURA

O presidente do Sindipetro PE-PB, Marcos Aurélio, deu as boas-vindas e pediu uma calorosa salva de palmas para os trabalhadores do MST, anfitriões da plenária.  Jaime Amorim, coordenador geral do MST fez questão relembrar a luta histórica que garantiu a conquista do assentamento. “No dia 1º de maio o Normandia completou 20 anos. O espaço, que era de propriedade dos militares, já tinha esse nome. Mantivemos porque Normandia é uma referência ao pós-guerra. Hoje, nós temos aqui 40 famílias assentadas e fornecemos alimentação para as escolas públicas de Caruaru”. Na sequência, o diretor da FUP e secretário de Relações Internacionais da CGT, José Divanilton destacou a importância de analisar a conjuntura internacional para se falar do desenvolvimento do país.

Em sua falação, Jocely Andreolli, coordenador nacional do MAB colocou a necessidade de os trabalhadores do campo e da cidade se unirem em defesa do Brasil. “Somos companheiros da mesma causa para a soberania desse país. Estamos juntos na luta da classe trabalhadora”. O presidente da CUT-PE, Carlos Veras, disse que o assentamento é o modelo da reforma agrária que queremos para o nosso país e ela precisa de fato acontecer.

PROJETO MOVA-BRASIL

A importância do MOVA-Brasil para o desenvolvimento do Brasil foi destacada na fala do professor Moacir Gadotti. “Se depender de nós, isso vai acontecer”. O projeto de alfabetização completa 10 anos e já atendeu centenas de jovens e adultos em diversos estados. É uma parceria entre o Instituto Paulo Freire, FUP e Petrobrás.

O deputado federal do PT-PE, Fernando Ferro, relembrou as conquistas dos trabalhadores durante os 10 anos do governo petista e  achou a atenção para a necessidade de os trabalhadores se  unirem pela soberania nacional e defesa da Petrobrás. “É aqui que está a esperança do mundo. Querem a CPI da Petrobrás, mas não fazem da Chevron e da Shell.”.

Cibele Fogaça, diretora da CNQ e do Coletivo de Mulheres Petroleiras, defendeu a participação das mulheres na luta sindical. Inclusive, pontuou a importância de se fazer uma plenária num assentamento, além de colocar que é a primeira vez que as petroleiras trazem para a plenária uma pauta própria.

ULTRAFÉRTIL VOLTA AO SISTEMA PETROBRÁS

Encerrando a abertura, o coordenador da FUP, João Antônio de Moraes, cumprimentou os companheiros da Sindquímica Paraná, que se filiarem recentemente à FUP e lutaram pela retomada da Ultrafértil ao Sistema Petrobrás.

Moraes também chamou a atenção para o cenário energético atual e a unidade dos trabalhadores para garantia dos direitos. “Sem unidade da categoria não teremos condições de enfrentar a realidade. Recentemente, tivemos a 11ª Rodada dos Leilões do Petróleo, onde 189 blocos foram leiloados. Desse total, a Petrobrás operará somente três. Assim, teremos 186 blocos precarizando as condições de trabalho”, finalizou.

O encontro vai até o domingo, dia 09, onde os congressistas discutirão a pauta de reivindicações e demais temas de interesse da categoria. 

Sindipetro/MG

Começa a IV Plenafup