Após cobrança da FUP, Petrobrás marca reunião para discutir PLR Futura Após cobrança da FUP, Petrobrás marca reunião para discutir PLR Futura

Diversos, Notícias | 6 de fevereiro de 2014

Após cobrança da FUP, a Petrobrás agendou para a próxima terça-feira, dia 11, às 9h, uma reunião para dar prosseguimento à negociação da PLR Futura.  

O QUE ESTÁ SENDO NEGOCIADO EM RELAÇÃO AOS VALORES DA PLR?

A resolução número 10 do DEST, tendo como base a Lei 10.101/2000, garante aos trabalhadores das empresas estatais receberem PLR equivalente a até 25% dos dividendos pagos aos acionistas. Entre 2003 e 2012, os dividendos pagos pela Petrobrás representaram, em média, 33% do lucro líquido, enquanto os trabalhadores receberam nesse mesmo período, um valor médio de PLR equivalente a 14% dos dividendos.
Na proposta de regramento aprovada pela categoria, os petroleiros cobram entre 14% dos dividendos (o valor médio das PLRs conquistadas desde 2003) e 25% dos dividendos, valor máximo definido pela lei. Se tomarmos como base o percentual médio de 33% do lucro líquido a que tiveram direito os acionistas da Petrobrás nos últimos anos, o valor médio da PLR dos trabalhadores equivaleria a 8,28% do lucro líquido, se aplicado o teto de 25% sobre os dividendos, como estabelece a resolução nº 10 do DEST, ou a 4,71% do lucro líquido, se utilizarmos o valor médio de 14% sobre os dividendos conquistados pelos petroleiros.

A proposta da Petrobrás, que foi rejeitada pela FUP, é de que o valor da PLR seja entre 4% e 5,25% do lucro líquido. Ou seja, a proposta da empresa continua aquém do que cobram os trabalhadores: 4,71% a 8,28%, fazendo a associação dos dividendos com o lucro líquido. Além disso, a Petrobrás não definiu um valor fixo de PLR a ser pago aos trabalhadores, caso não registre lucro, mas apresente resultados. 

{edocs}rh-amb-rts50012-14.pdf,600,1000{/edocs}

Sindipetro/MG – atualizada às 14h45 do dia 7/2

Após cobrança da FUP, Petrobrás marca reunião para discutir PLR Futura