Regramento da PLR: mais uma conquista de todos os petroleiros! Regramento da PLR: mais uma conquista de todos os petroleiros!

Diversos, Notícias | 28 de fevereiro de 2014

O movimento sindical petroleiro luta pela participação nos lucros há anos. Na década de 90, o valor da PLR, no caso da Petrobrás, sempre variou de acordo com os interesses da empresa, ignorando por completo as reivindicações dos trabalhadores. O critério usado era sempre o mesmo: quanto mais alto o cargo, maior era a PLR. A partir do governo Lula, tanto o montante, quanto os valores pagos aos empregados, foram aumentados. Com isso, caiu, e muito, a diferença entre a alta gerência e os petroleiros. Mesmo tendo diminuído, a Petrobrás continuou relutante quando o assunto era o regramento.

A LUTA POR UMA PLR JUSTA E DEMOCRÁTICA

Durante esta luta, chegamos até ter o percentual de valor da PLR determinado pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (Dest). Isso sem negociar com a FUP e seus sindicatos. Os petroleiros sofriam prejuízos por não terem uma regra clara. Os embates entre a categoria e Petrobrás perduraram por anos. Foram intensas negociações regadas a mobilizações para arrancar uma proposta condizente com os interesses da categoria. Agora, nós temos o quê comemorar.

A nova regra é clara. A partir de agora, o cálculo do montante será entre 4,5% e 7,25% sobre o lucro líquido da companhia, sendo a distribuição da seguinte forma: um valor estipulado para o piso (que irá até o nível 457A na tabela de salário). A partir daí, se estabelece um gradiente a cada nível da tabela, mantendo a relação entre o piso e o teto de 2,5x. O valor individualmente pago não poderá ultrapassar quatro remunerações, regra que não vale para o piso.

Outra conquista importante é que, caso a Petrobrás não tenha apresentado lucro e as metas sejam atingidas, haverá o pagamento de metade da remuneração do trabalhador, mais a metade do piso pago na PLR do ano anterior. A nova regra já valerá para a PLR 2013, que será paga a partir do dia 1º de julho. Além disso, terá a validade de cinco anos, com revalidação a cada dois.
Por considerar o regramento democrático e justo, a categoria petroleira de Minas Gerais aprovou em assembleias, por ampla maioria, a proposta da Petrobrás. Essa vitória é fruto da nossa luta, que durou anos para que pudéssemos chegar a um resultado satisfatório. Juntos, provamos, mais uma vez, que unidos somos capazes de conquistar os nossos direitos. E não é exagero dizer, que o nosso regramento servirá de exemplo para demais categorias. Mas como sempre, a oposição, em mais um exemplo de imaturidade e irresponsabilidade com os trabalhadores, foi contra o regramento. Os argumentos, que não sustentam nenhum tipo de proposta, mostram a falta de preparo dos divisionistas na busca dos interesses da nossa categoria.

Os mesmos que foram contra as conquistas históricas do nosso ACT 2013/2015, agora, tentaram desqualificar a luta da FUP e seus sindicatos nestes anos todos. É a prova de que a “esquerda infantil” aliada à extrema-direita, que não passa de uma direita reformista, não sabe onde fica e nem para onde vai. Enfim, está perdida! Os resultados das assembleias, mais uma vez, mostraram que a oposição está isolada e não tem o apoio da categoria.

PLR SERÁ QUITADA EM 2 DE MAIO

Na reunião realizada na última quinta-feira, 27, a Petrobrás apresentou à FUP e seus sindicatos a sua proposta para quitação da PLR 2013. Para os trabalhadores, cujo sindicato assine a proposta de regramento até o dia 31 de março, o pagamento será realizado no dia 2 de maio, condicionado à realização de Assembleia Geral Ordinária da Petrobrás (AGO). Este é o caso da categoria petroleira de Minas Gerais, já que o Sindipetro/MG assinou o acordo no dia 25/2. No dia 21 de março, a FUP volta a se reunir com a Petrobrás para discutir as metas da PLR 2014.

Sindipetro/MG

Regramento da PLR: mais uma conquista de todos os petroleiros!