Lista de Cobertura: uma tentativa de mascarar o número mínimo Lista de Cobertura: uma tentativa de mascarar o número mínimo

Diversos, Notícias | 25 de novembro de 2014

A falta de trabalhadores já virou uma doença no Sistema Petrobrás. Com o Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV), mais de 8 mil postos ficaram desguarnecidos. No fórum realizado com a FUP no dia 14, a empresa não discutiu a recomposição do efetivo. Simplesmente apresentou os programas utilizados para demissão em massa.

Os reflexos deste pouco caso são perceptíveis nas Unidades. Além da sobrecarga de trabalho, a manobra utilizada na Regap têm sido a transferência dos trabalhadores. Isto é: o operador é tirado de um setor e colocado em outro, como bem entender. É aquele ditado: estão tentando “tapar o sol com a peneira”, já que a medida é ineficiente.

Outra artimanha da gerência para suprir o déficit operacional tem sido a lista de cobertura. Mais uma tentativa para camuflar a escassez de mão de obra. Antes, as necessidades eram supridas com dobras. Hoje, fala-se em acabar com a dobra gold. Este tipo de artifício não resolve o problema. Aliás, aumenta os riscos de acidentes. Por isso, é importante frisar que lista de cobertura não é vantagem, e sim, exploração.

O Sindipetro/MG é contra a lista de cobertura, e em outra ocasião, colocou a insatisfação dos trabalhadores com tal procedimento. Mas pelo visto a chefia parece sofrer de memória fraca. Outro boato que anda circulando na refinaria é que as férias serão determinadas. Ou seja, o petroleiro sequer terá o direito de escolher o mês que desfrutará seus dias de descanso.

A gerência setorial está tomando suas decisões sem propor qualquer negociação com o sindicato. O Sindipetro/MG sempre esteve e continuará na luta pelo número mínimo em todas as áreas da refinaria: administrativo, manutenção, segurança e operação. Não vamos permitir que medidas insanas sejam colocadas em prática.

Sindipetro/MG

Lista de Cobertura: uma tentativa de mascarar o número mínimo