Quem exige o fim da corrupção na Petrobrás são os trabalhadores e o povo brasileiro Quem exige o fim da corrupção na Petrobrás são os trabalhadores e o povo brasileiro

Diversos, Notícias | 27 de fevereiro de 2015

A operação Lava Jato, além de desvendar a corrupção de alguns gerentes da Petrobrás, deixou claro o que pretendem as sete famílias que controlam a mídia nacional. Fica cada vez mais evidente que elas têm um “programa” partidário, que querem impor aos brasileiros sem necessidade de vencer uma disputa eleitoral. É um “programa” antigo e suas propostas vêm sendo derrotadas nas urnas, com vitórias seguidas do nosso projeto democrático popular. Aproveitando as denúncias de corrupção na Petrobrás, essas famílias partiram para o ataque e querem dar um “golpe jurídico” no governo eleito em outubro passado. Lendo os jornais, vendo TV ou ouvindo rádio, somos “bombardeados” pelas propostas das sete famílias que controlam a informação no Brasil.

Eis algumas delas:

1) Contratação de empreiteiras estrangeiras pela Petrobrás;
2) Fim do conteúdo nacional para os fornecedores da Petrobrás;
3) Abertura do pré-sal para as empresas petrolíferas estrangeiras (leia-se americanas);
4) Iniciar o processo de privatização da empresa;
5) Contra a reforma política;
6) Contra a lei de democratização da mídia;
7) São favoráveis à continuação do financiamento das campanhas eleitorais por empresas – que é uma janela escancarada para a corrupção. Mesmo assim, as “famílias” apoiam esse tipo de financiamento eleitoral.
8) Contra os programas sociais, tipo Bolsa Família, ProUni e outros;
9) Submissão aos interesses dos Estados Unidos e Europa;
10) Voltar com a política econômica neoliberal;
11) “Flexibilizar” os direitos trabalhistas, isto é: fim das férias, 13º salário e outras conquistas dos trabalhadores.

É um programa que vai contra o projeto popular, que vence a direita desde 2002 e deixa clara a partidarização da mídia brasileira. Por isso, as denúncias de corrupção na Petrobrás viraram uma verdadeira guerra. As sete famílias não estão preocupadas em combater a corrupção. Sua grande preocupação é tentar destruir o PT, que é o maior partido de esquerda do Brasil e o único que pode liderar o combate à tentativa de retorno do projeto neoliberal. Nós, os trabalhadores da Petrobrás e o povo brasileiro, queremos uma grande investigação que puna os corruptos, e seja devolvido para a empresa, o que dela foi roubado.

Mas os barões da mídia fazem diferente. Segundo o Blog Tijolaço, no dia 7 de fevereiro, a diretora da Central Globo de Jornalismo enviou e-mail a todos os responsáveis pelos núcleos de jornalismo, proibindo qualquer citação de FHC nos noticiários da emissora que tratam do escândalo na Petrobrás. Já o jornalista Ricardo Boechat disse na rádio e na TV Bandeirantes, que corre um “boato” que Aécio Neves está entre os denunciados da Operação Lava Jato. Nenhum outro órgão divulgou essa notícia e nem foi feita nenhuma “reportagem” no Fantástico, como ocorre se o acusado for do PT.

Isto deixa claro que estamos lutando pela manutenção de nossas conquistas, na Petrobrás e no Brasil. Além de defendermos uma “faxina” na empresa, temos de lutar contra uma mídia fascista que vai fazer de tudo para acabar com a Petrobrás. Não podemos nos esquecer que essas famílias que controlam a mídia têm uma tradição golpista. Depois de 1950, a direita sempre usou as denúncias de corrupção, na maioria das vezes mentirosas, para desestabilizar e derrubar governos populares e/ou trabalhistas. O que acabaram conseguindo em 1964. O golpismo está no DNA da imprensa brasileira.

E O QUE QUER A JUSTIÇA?

Sabemos quais os objetivos da imprensa com relação ao escândalo da Petrobrás, mas e os investigadores da Polícia Federal e o juiz Sérgio Moro? Quais são seus reais objetivos?
Foi amplamente divulgado, que a esposa do juiz assessora o PSDB no Paraná. Além disso, é assessora do vice governador, também do PSDB. O pai do juiz é anti-PT, conforme foi divulgado no Blog da Cidadania. O irmão atacou Dilma na internet, apoiando Aécio Neves. Os delegados da Polícia Federal, que investigam a corrupção na Petrobrás, divulgaram apoio a Aécio nas eleições passadas pela internet.

O jornal “O Globo” deu o título de “homem do ano” ao juiz Moro. A revista Época, que pertence às Organizações Globo, deu capa chamando os três de heróis. É a mesma tática de bajulação que usaram com Joaquim Barbosa, absorvendo-o para atender os planos da direita midiática. Essa turma do Paraná parece seguir o mesmo caminho. A jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, escreveu em sua coluna que a turma que investiga a Operação Lava Jato “quer pegar o Lula”, o que para eles seria a “glória total”.

A ex-funcionária da Petrobrás, Venina da Fonseca, deu entrevista no Fantástico e, por isso, foi considerada “a mulher coragem” pela mídia nacional. Depois ficou provado que mentia e que estava envolvida no esquema de corrupção. Mas cumpriu os objetivos dos irmãos Marinho, que é denegrir a Petrobrás. Agora, depois de usada, foi descartada pela Globo. É, portanto, uma “investigação” partidarizada, e que para o Judiciário, não visa “pegar” os corruptos, mas sim, atingir o PT.

Por isso, não podemos “baixar a guarda”. Temos de continuar atentos e defender a Petrobrás. Não é só ela que está em jogo, mas também, nossos empregos e a independência do Brasil na área da energia e petróleo. Vamos combater os corruptos e os entreguistas. Nossa luta não acabou.

Todos ao ato dia 13, em defesa da Petrobrás!

Sindipetro/MG

Quem exige o fim da corrupção na Petrobrás são os trabalhadores e o povo brasileiro