O esquema golpista O esquema golpista

Diversos, Notícias | 23 de julho de 2015

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, apoiou Aécio Neves na última eleição presidencial. Ele foi eleito deputado pelo PMDB em 2014, mas sempre fez parte do esquema da direita no Rio de Janeiro e no Brasil.

Atualmente, só pensa em derrubar a presidente Dilma Rousseff e fazer novas eleições para tentar colocar no Planalto o outro candidato, que é seu aliado. Para isso, conta com o apoio da imprensa, parte do judiciário e do seu partido.

O depoimento do delator e ex-consultor da Toyo Setal, Júlio Camargo, que acusa Eduardo Cunha de ter recebido US$ 5 milhões em propina, pode adiar ou até mesmo derrubar o golpe de vez. Após a denúncia, Cunha rompeu com o governo e disse que vai colocar em votação o impeachment da presidente. Ele alega que está sendo perseguido, quando, na verdade, ele queria que Dilma agisse nos bastidores para abafar as investigações. Como isso não foi feito, está prometendo retaliar o governo.

No dia 14 de julho, a Folha de São Paulo noticiou que na casa de Cunha, em Brasília, o ministro do STF, Gilmar Mendes e o deputado Paulinho, da Força Sindical se reuniram para um café da manhã. Segundo a reportagem, no encontro foi discutido o impeachment de Dilma. É um trio da “pesada”.

O ministro Gilmar Mendes está envolvido com o senador cassado, Demóstenes Torres. Já o deputado Paulinho da Força Sindical e Eduardo Cunha estão nas denúncias da Operação Lava Jato. Vai ser irônico, se não fosse trágico, que deputados e senadores corruptos queiram tirar Dilma do governo alegando combater a corrupção.

O presidente do Senado, Renan Calheiros, também está envolvido nas denúncias da Lava Jato. Quase todos os deputados do partido Solidariedade (que pertence o deputado Paulinho da Força Sindical) estão envolvidos nas denúncias da Lava Jato.

Sindipetro/MG

O esquema golpista