A caçada e o alvo A caçada e o alvo

Diversos, Notícias | 11 de agosto de 2015

Mais uma vez, José Dirceu foi preso. E, desta vez, pela Operação Lava Jato. Mesmo sem provas e só com a delação premiada, ele foi preso. Ao contrário, por exemplo, do senador tucano Antônio Anastasia, que continua “livre, leve e solto”. A prisão de José Dirceu foi calibrada para coincidir com a abertura dos trabalhos no Congresso Nacional. A intenção foi dar mais força a turma favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, tirar o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, do centro das acusações da Operação Lava Jato e “animar” a direita para o ato que planejam para dia 16 de agosto.

A Justiça brasileira já tem experiência com o chamado “mensalão” e sabe usar denúncias e prisões para atingir seus adversários políticos. A nossa Justiça tem lado e não é cega. As ações do juiz Sérgio Moro, dos promotores e delegados da Polícia Federal são mais políticas que técnicas. Elas visam objetivos sempre favoráveis à direita e à oposição. As denúncias que envolvem Eduardo Cunha só foram divulgadas porque a testemunha fez as acusações em público, sem que os presentes pudessem fazer nada.

A denúncia de que Cunha recebeu US$ 5 milhões de propina atingiu em cheio uma das principais figuras da direita e queridinho da imprensa. Para complicar ainda mais, a advogada Beatriz Catta Preta, que defendia nove presos que negociaram a delação premiada, abandonou os seus clientes. Ela fez isso após Eduardo Cunha ser acusado de receber propina. Numa entrevista no Jornal Nacional, disse que sofreu ameaças veladas. Depois disso, abandonou a profissão e fechou seu escritório de advocacia. Ela deve ser convocada à CPI da Petrobrás para explicar porque abandonou os seus clientes.

A advogada faturava entre R$ 2,5 a R$ 4 milhões por cada delação premiada. Os parlamentares querem saber se os honorários que recebeu era dinheiro desviado da Petrobrás e quem a ameaçou. Segundo Beatriz, existem provas de que Eduardo Cunha recebeu propina. A entrevista da advogada Beatriz Catta Preta no Jornal Nacional indica que a Globo abandonou seu “queridinho”. Mas ainda está tentando mais uma “cartada” para salvar Cunha.
Na abertura dos trabalhos parlamentares, ele era o principal alvo, com ameaças de perder a Presidência da Câmara dos Deputados. A prisão de José Dirceu, logo na segunda-feira, dia 3, foi calibrada para desviar o foco e colocar novamente o PT no “centro do palco”.

Enquanto a mídia vai distraindo a população com o “circo” de uma nova prisão de José Dirceu, na Câmara dos Deputados são aprovadas instalações de CPIs contra o governo. O presidente da Câmara prometeu fazer uma pauta vingativa contra Dilma. Politicamente, a Operação Lava Jato vem jogando contra o governo e escancaradamente a favor da oposição, com o apoio da imprensa.

Todas essas investigações têm um alvo: atingir Lula. Na eleição de 2014, a oposição e a imprensa usaram tudo quanto é golpe baixo para voltar ao poder. Foram derrotados. Porém, não aceitaram a derrota. Logo depois do resultado oficial foram para o chamado “terceiro turno” tentando desestabilizar o governo eleito. A corrupção na Petrobrás foi usada como uma arma para atingir o Dilma. Durante todo o primeiro semestre, a mídia, a oposição e as forças de direita, pediam o impeachment da presidente.

Chegamos ao mês de agosto, sem que conseguissem seu intento e, apesar de tudo, o governo está vivo. E o que eles consideram pior: Lula ainda é um candidato que fala aos corações e mentes dos brasileiros. Isso a oposição não suporta. Por isso, planejaram tudo: enfraquecer o governo Dilma e criminalizar o PT com a ajuda do judiciário. Faz parte do plano colocar a oposição (Aécio Neves, Geraldo Alckmin ou José Serra) como soluções para 2018, e inundar a imprensa com notícias negativas (normalmente mentiras ou meias verdades), para jogar a população contra o projeto popular que está no poder.

Mas as coisas não estão saindo da maneira que planejaram. Principalmente depois da perda inesperada de Cunha, que depois da denúncia, teve sua posição enfraquecida. Apesar de todo o bombardeio, não está fácil para a oposição e os barões da imprensa voltarem ao poder em 2018. O grande empecilho é Lula, que tem a admiração de grande parte do povo brasileiro. Portanto, não vamos nos deixar enganar. A prisão de José Dirceu faz parte de uma grande armação, que é tentar prender Lula. Mesmo se não tiver nada contra ele, pois o que querem é destruir sua imagem perante o povo e, assim, facilitar a volta da direita ao poder. Vai ser uma luta longa e difícil, mas é na adversidade que crescemos. E vamos derrotá-los mais uma vez.

OBS: José Dirceu já estava cumprindo prisão domiciliar. Ou seja, não precisava ser preso novamente. Isso só ocorreu para criar um circo e tentar manter o foco nas forças que apoiam o governo. Mais uma vez, salientamos que defendemos a punição de todos os corruptos e corruptores, sejam de qual partido for. Além disso, combatemos a instrumentalização de denúncias para dar golpe.

Sindipetro/MG

A caçada e o alvo