Defesa da Petrobrás: cadê os petroleiros? Defesa da Petrobrás: cadê os petroleiros?

Diversos, Notícias | 28 de agosto de 2015

Dia 20 de agosto foi realizada a mobilização em defesa da democracia e da Petrobrás. Foi uma manifestação amplamente divulgada, tanto que o sindicato fez reuniões setorizadas com todos os trabalhadores do turno e HA da Regap e Termelétrica. O objetivo foi de debater e esclarecer qualquer dúvida dos petroleiros com relação a atual conjuntura do país. Ficou bem claro os riscos que corre a Petrobrás, nossas conquistas e a democracia, caso a aventura do impeachment fosse levada adiante.

Entretanto, o comparecimento da categoria no ato do dia 20 ficou abaixo dos outros movimentos realizados meses atrás. A presença dos trabalhadores da Regap e Termelétrica foi abaixo do esperado. Estamos correndo o risco de perder nossos empregos e tudo que conquistamos nesses 12 anos de governo trabalhista.

Parece que isso não sensibilizou os petroleiros, que preferiram fazer outra coisa, a dedicar de duas a três horas de seu tempo em sua própria defesa e de sua família. Afinal, combater a ameaça de ficar sem a democracia, sem as nossas conquistas e nossos empregos deveria ser prioridade de qualquer trabalhador! Tivemos a participação de alguns petroleiros da ativa e aposentados. Mas precisamos de mais trabalhadores colorindo nosso movimento com a cor laranja dos uniformes.

Durante algumas reuniões setorizadas na Regap, a oposição, ligada à FNP, se declarou neutra. Disse que não participaria de atos convocados pela direita golpista e nem dos atos chamados para defender a democracia e a Petrobrás. Isto é: não está “nem aí” para o que vai acontecer com a democracia, a Petrobrás e os nossos empregos. O resultado da posição da “esquerda infantil” é o mesmo que quer a direita fascista: acabam sendo aliados nos objetivos de destruírem a Petrobrás. Por isso foram rechaçados nas reuniões setorizadas.

O petroleiro tem que sair da sua “zona de conforto” e ocupar as ruas. É importante sinalizar para a sociedade que apesar de toda as denúncias de roubalheira na Petrobrás, nós, trabalhadores, queremos mantê-la sob o controle do Estado.

Queremos que os ladrões sejam punidos e o dinheiro roubado devolvido a empresa;
Queremos mantê-la como operadora única do pré-sal;
Queremos provar que temos mão de obra, competência técnica e tecnologia para tornar o país autossuficiente em petróleo e seus derivados;
Queremos que os recursos do pré-sal sejam para a saúde e a educação.
Mas para isso, não basta aumentar a produção. Temos que ir para as ruas e manifestar junto com a população brasileira. Temos de enfrentar os golpistas de direita e da “esquerda infantil” para manter duas coisas que sempre foram importantes para nosso povo: a democracia e a Petrobrás. No próximo movimento, TODOS têm que participar.

VEM AÍ O ANIVERSÁRIO DE CRIAÇÃO DA PETROBRÁS NO DIA 3 DE OUTUBRO. VAI SER MAIS UM DIA DE LUTA!

Sindipetro/MG

Defesa da Petrobrás: cadê os petroleiros?