A luta não acabou! A luta não acabou!

Diversos, Notícias | 18 de abril de 2016

O domingo, dia 17 de abril, será lembrado para sempre como um dia horrendo da democracia. Um show de hipocrisia, comandado por ninguém menos que Eduardo Cunha, envolvido até o pescoço em esquemas de corrupção. A serenidade que o presidente da Câmara dos Deputados manteve, mesmo sendo acusado por muitos de bandido, mostra que frieza e cinismo ele tem de sobra para levar o seu plano adiante.  

Gritos de SIM em defesa da moral, com direito a homenagens para pais, filhos, família, igreja, Deus seria cômico, se não fosse trágico. O ódio nas falas, nos gestos e olhares provaram que a Câmara não tem interesse nenhum em contribuir com o país,  mas sim, destruir o projeto político popular. Argumentos vazios, incoerentes, pregando o fim da corrupção deixaram claro que o objetivo é derrubar o PT, independentemente do que esteja sendo investigado. As pedaladas fiscais mal foram citadas.

O golpe foi escancarado e não interessa o que Dilma tenha feito, pois o negócio é tirá-la de lá, custe o que custar! Agora, no Senado, o processo de impeachment poderá ser derrubado, mas isso dependerá ainda mais na nossa capacidade de mobilização. No espetáculo de domingo, não houve vencedores e perdedores, entretanto, para que saiamos vitoriosos, a ocupação das ruas tem que continuar e se fortalecer ainda mais. Os moralistas sem moral da Câmara já começaram a ser desmascarados. Então, temos que continuar nas redes sociais e nas ruas para escrachar o golpe em curso.

PETROLEIROS EM DEFESA DO BRASIL, DA PETROBRÁS E DO PRÉ-SAL

Não é demais lembrar que nós, petroleiros e petroleiras, também estamos na mira do golpe. O plano de governo de Michel Temer, “Uma ponte para o futuro”, prevê a retomada do desenvolvimento por meio das privatizações e retirada de direitos. Não sejamos inocentes em achar que os nossos empregos estarão garantidos. A abertura do pré-sal é esperada ansiosamente pelas multinacionais. E o que isso significa nós sabemos: precariedade das condições de trabalho, terceirização, salários reduzidos, entre outras infinidades de prejuízos. Por isso, categoria, é hora de colocar o bloco na rua. Para que a Petrobrás e o pré-sal continuem garantindo a soberania do Brasil e em defesa da democracia, vamos protestar!

Sindipetro/MG

 

A luta não acabou!