Petroleiros da REGAP vão à luta contra cortes no transporte Petroleiros da REGAP vão à luta contra cortes no transporte

Diversos, Notícias | 20 de julho de 2016

Em assembleia geral realizada na última terça-feira (19), os trabalhadores de turno da REGAP aprovaram um plano de mobilização para protestar contra a atual proposta de reformulação do transporte. Os petroleiros decidiram por iniciar o movimento de ‘hora-cheia’ a partir da data de implantação das mudanças, em todos os grupos de turno, com indicativo de intensificação da mobilização, caso necessário. Está prevista a reavaliação desse movimento após uma rodada de turno ou diante de nova proposta, conforme avanço das negociações com a empresa.

Os trabalhadores ressaltaram sobre a necessidade de se reabrir a negociação, de maneira a avaliar a situação de parcela de empregados que ainda estão sendo muito prejudicados com as mudanças, mesmo diante de melhorias em relação à primeira proposta. Assim como visto nas assembleias, com reprovação da proposta da empresa por ampla maioria, os petroleiros da REGAP não se darão por satisfeitos enquanto houverem parcelas tão prejudicadas por essas mudanças.

Entenda a novela

Sob a alegação de redução de custos, a Gerência da REGAP vem há meses apresentando propostas de reformulação do transporte de turno. Rejeitada em todas as ocasiões pela diretoria do Sindipetro/MG, a Gerência Local decidiu – no último mês de junho – apresentar uma proposta de implementação imediata.

O corte de quatro ônibus de turno ocasionou grande rejeição pela base, devido aos prejuízos para a categoria, especialmente quanto ao significativo aumento do tempo de permanência dentro dos ônibus. A negociação avançou e foi possível garantir a manutenção das linhas que atendem as demais cidades da região metropolitana de BH, assim como a implementação dos síndicos em cada veículo. No entanto, ainda há grandes impactos para uma parcela da categoria, o que é inadmissível para a ampla maioria dos trabalhadores de turno da REGAP.

Gerência quer pagar pra ver!

Os trabalhadores de turno da REGAP sabem da necessidade de reformulação do transporte, já que é evidente a baixa ocupação de algumas linhas. No entanto, não aceitará que essa motivação sirva de desculpa para uma redução cega de custos, sem levar em conta a ambiência e a segurança de seus trabalhadores.

Infelizmente, a Gerência insiste em dizer que se trata da última proposta, o que emperrou as negociações. A categoria não hesitará em batalhar pela manutenção de boas condições de trabalho, conquistadas em anos de trabalho e de luta! 

Sindipetro/MG

Petroleiros da REGAP vão à luta contra cortes no transporte