Sindipetro/MG faz setoriais com petroleiros sobre proposta da Petrobrás Sindipetro/MG faz setoriais com petroleiros sobre proposta da Petrobrás

Diversos, Notícias | 6 de dezembro de 2016

 

Durante esta semana, o Sindipetro/MG realiza setoriais com os trabalhadores dos grupos e HA da Regap, Termelétrica Aureliano Chaves e Transpetro. As reuniões serão sobre a mais recente proposta para o Termo Aditivo ao Acordo Coletivo apresentada pela Petrobrás e sobre o que foi discutido no último Conselho Deliberativo da FUP.

No entanto, como a previsão é de chuva para todos os dias da semana, o Sindipetro também fará uma setorizada na quarta-feira (7), às 15h30, na sede do Sindicato (av. Barbacena, 242, Barro Preto – Belo Horizonte).

No último domingo (4), diretores do Sindipetro estiveram na portaria da empresa para conversar com os trabalhadores do grupo 1, mas devido a uma forte chuva a setorial precisou ser cancelada.

Conselho Deliberativo

Em reunião do Conselho Deliberativo na última quinta-feira (1º), a FUP reafirmou que Acordo Coletivo de Trabalho é para ser cumprido e, por isso, a mais recente proposta apresentada pela Petrobrás não será levada para avaliação em assembleias.

A proposta não traz nenhuma garantia da empresa no sentido de cumprir o compromisso assumido em novembro de 2015 de implantar o ATS para os trabalhadores da Fafen-PR (Araucária Nitrogenados).

Além disso, a Petrobrás também insiste em trazer para a discussão do Termo Aditivo uma proposta de redução de jornada de trabalho, que, além de reduzir o salário, pode se transformar em uma ferramenta da gestão para assediar, punir e até mesmo demitir trabalhadores.

Diante disso, o Conselho Deliberativo da FUP definiu que só irá submeter qualquer proposta para avaliação da categoria, após a diretoria da Fafen-PR aprovar, sem condicionantes, o acordo de implementação do ATS e, a Petrobrás remeter para a Comissão de Regimes sua proposição de reduzir jornada com redução de salários.

Além disso, a Federação fixou um prazo até 7 de dezembro para que a Petrobrás responda ao que foi definido e reforçou que é imperativa a luta contra a privatização e o desmonte do Sistema Petrobrás.

Proposta

Na proposta apresentada no dia 29 de novembro, a Petrobrás manteve o reajuste em 6% no salário básico e na RMNR, retroativos a setembro de 2016, acrescido de 2,8% em fevereiro de 2017, sem retroatividade.

A proposta também trouxe a antecipação do pagamento da primeira parcela do 13º salário para 10 de janeiro de 2017. Além disso, a companhia reajustaria pelo IPCA (8,97%) o Adicional do Estado do Amazonas e a Gratificação de Campos Terrestres de Produção, retroativos a setembro de 2016.

Em relação às horas extras, a Petrobrás retirou sua proposta de reduzir a remuneração e propôs a constituição de um grupo de trabalho específico para debater a realização de horas extras na companhia. A empresa, no entanto, manteve sua proposta original de redução de jornada com redução de salário.

Sindipetro/MG faz setoriais com petroleiros sobre proposta da Petrobrás