Gerência da Termelétrica quer precarizar transporte de turno Gerência da Termelétrica quer precarizar transporte de turno

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 2 de junho de 2017

aureliano_chaves_termeletrica_dig32686_cortadaEm mais um ataque contra as condições de trabalho da categoria petroleira, a gerência da Usina Termelétrica Aureliano Chaves quer precarizar o transporte utilizado pelos grupos de turno.

A gerência local quer impor goela abaixo a substituição da van de turno por um carro comum, sem qualquer debate com os trabalhadores e o sindicato. Os operadores têm demonstrado grande revolta perante a mudança, que representará clara perda em segurança e conforto nas viagens. O setor já vem sofrendo com longas jornadas no interior da atual van, além da perda de quase 20% da força de trabalho com o PIDV – o que tem intensificado as dobras de turno.

Transporte do HA também tem problemas

A Usina possui uma dívida antiga com alguns empregados do HA, há anos sem atendimento de transporte, assunto negligenciado pelas gerências nos últimos anos. Diante de baixíssimos níveis de ambiência, a gerência local tem vendido a ideia de que é possível resolver essa pendência, desde que haja cortes no turno.

Os trabalhadores não podem se deixar enganar com essa tentativa de divisão da categoria pela gerência, com o objetivo de legitimar suas ações. O sindicato já havia recebido denúncias de que a Usina planejava fazer cortes no turno, independente das questões do HA.

A direção do Sindipetro/MG exige que a gerência da Usina se esforce por uma solução digna para o transporte de seus empregados do HA. Alem disso, reforçamos nossa posição contrária a qualquer rebaixamento das condições de trabalho dos trabalhadores de turno.

Gerência da Termelétrica quer precarizar transporte de turno