Sindicatos da FUP estão concluindo assembleias e garantindo a manutenção de direitos no Sistema Petrobrás Sindicatos da FUP estão concluindo assembleias e garantindo a manutenção de direitos no Sistema Petrobrás

Diversos, Notícias, De que lado você está?, Tribuna Livre, Novidades | 21 de dezembro de 2017

Os sindicatos da FUP estão concluindo as assembleias em diversas bases do Sistema Petrobrás, com aprovação do Acordo Coletivo de Trabalho, que mantém a íntegra dos principais direitos dos petroleiros, apesar da conjuntura desfavorável à classe trabalhadora.

Nesta sexta-feira, 21, os sindicatos de Duque de Caxias e de Pernambuco/Paraíba concluem as assembleias, com aprovação de todos os indicativos da FUP.

Na Bahia, as assembleias já foram conluiídas na grande maioria das bases, restando apenas a do Ediba, que será realizada hoje às 15h30, e três que serão realizadas no dia 26, mas o resultado parcial está consolidando a ampla aprovação da proposta conquistada. Mais de 80% dos petroleiros da Bahia estão sendo favoráveis ao acordo coletivo garantido pela FUP no processo de negociação que impediu a retirada de direitos, como queriam a Petrobrás e suas subsidiárias.

Os petroquímicos da Araucária Nitrogenados, empresa que está em processo de privatização, foram os primeiros a concluir as assembleias, aprovando por unanimidade o ACT e os demais indicativos da FUP.

Os demais sindicatos da FUP também seguem aprovando o acordo. Apenas no Rio Grande do Norte e no Ceará/Piauí, as assembleias serão iniciadas na próxima semana.

Os petroleiros estão referendando ainda os indicativos de manutenção dos estados de greve e de assembleias permanentes contra a privatização de unidades da empresa (veja o quadro abaixo).

Para a direção da FUP e de seus sindicatos, no atual cenário de golpe, onde os direitos da Classe Trabalhadora estão sendo dizimados, é uma grande vitória a categoria preservar as conquistas garantidas nas últimas duas décadas.  Além disso, os petroleiros conseguiram incorporar ao Acordo salvaguardas para tentar barrar os efeitos da contrarreforma trabalhista, que impôs à CLT, entre outros absurdos, o artigo 477-A, onde “as dispensas imotivadas individuais, plúrimas ou coletivas equiparam-se para todos os fins, não havendo necessidade de autorização prévia de entidade sindical ou de celebração de convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho para sua efetivação”.

O coordenador da FUP, José Maria Rangel, alerta sobre as falsas polêmicas levantadas pela oposição para tentar tumultuar as assembleias. “Não existe categoria que tenha garantia plena de empregos, a não ser os servidores públicos do regime estatutário. Com a aprovação da nova lei trabalhista, aquela garantia que existia de evitar as demissões em massa acabou, fruto do golpe que o PSTU e seus aliados apoiaram, quando foram para as ruas defender o fora todos. No processo de negociação, a FUP inseriu no Acordo Coletivo uma cláusula que é uma salvaguarda no sentido de dar uma garantia mínima de proteção a esse tipo de demissão. Isso é uma conquista histórica para nós”, afirma. “Temos a clara e a absoluta certeza de que só a luta vai garantir a Petrobrás como empresa pública, só a luta vai garantir os nossos empregos”, destaca Zé Maria, convocando a categoria a aprova em massa o Acordo conquistado. “Não podemos correr o risco de entrar em 2018 sem um acordo coletivo, que nos dê a garantia que o nosso acordo tem”, alerta.

Quadro parcial das Assembleias (à medida que os sindicatos informarem novos resultados, atualizaremos os percentuais)

Sindiquímica Paraná (assembleias concluídas)

Proposta – aprovação 100%

Estado de greve – aprovação 100%

Sindipetro Pernambuco/Paraíba (assembleias concluídas)

Proposta – aprovação 65,2%

Estado de greve – aprovação 93%

Sindipetro Amazonas

Proposta – aprovação 85%; abstenção 7%

Estado de greve – aprovação 90%; abstenção 7%

Sindipetro Bahia

Proposta – aprovação 80,3%%

Estado de greve – aprovação 84%

Sindipetro Espírito Santo

Proposta – aprovação 51%; abstenção 8%

Estado de greve – aprovação 90%

Sindipetro Duque Caxias

Proposta – aprovação 79%

Estado de greve – aprovação 97%

Sindipetro Norte Fluminense

Proposta – aprovação 51,4%;

Estado de greve – aprovação 93%

Sindipetro Minas Gerais

Proposta – aprovação 50,5%

Estado de greve – aprovação 99,5%

Sindipetro Unificado de São Paulo

Proposta – aprovação 78%

Estado de greve – aprovação 97%

Sindipetro Paraná/Santa Catarina

Proposta – aprovação 57.66%

Estado de greve – aprovação 97,8%

Sindipetro Rio Grande do Sul

Proposta – aprovação 62,1%

Estado de greve – aprovação 99,1%

21-12-ES-aprova
Sindicatos da FUP estão concluindo assembleias e garantindo a manutenção de direitos no Sistema Petrobrás