Petroleiros dizem não aos blindados na Reduc Petroleiros dizem não aos blindados na Reduc

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 9 de fevereiro de 2018

blindados_reducPor seis dias consecutivos, os petroleiros do regime de turno da Reduc realizaram mobilização em defesa da segurança e contra o descaso gerencial com a vida dos trabalhadores. A manifestação, organizada pelo Sindipetro Caxias, começou no dia 31 de janeiro.

Com o objetivo de impedir a implementação do retorno à meia dobra às 2h com carros blindados, o que expõe os trabalhadores aos riscos de violência do estado do Rio de Janeiro, a direção do Sindipetro Caxias organizou uma ciranda no turno.

A mobilização consistiu em um corte de rendição intermitente a cada 16h com os Grupos A, B, C e E, finalizando com o grupo D, às 15h do dia 5, que estava de folga. Todos os grupos aprovaram por unanimidade a ciranda, bem como o indicativo do não retorno às 2h e a rendição padrão.

Suspensão do movimento e negociação

Durante a mobilização, a direção do Sindipetro Caxias procurou a gerência geral da Refinaria e a gerência do RH Corporativo para falar sobre uma solução para o problema.

Ambas as gerências se comprometeram a apresentarem uma proposta assim que fosse suspenso o movimento, além de não implementar os blindados e retorno na madrugada até que sejam realizadas as assembleias sobre essa proposta.

Diante do compromisso firmado pela Petrobrás, a direção do Sindicato suspendeu o movimento e apresentou uma proposta, construída juntamente com a categoria. A medida prevê o não retorno no horário do zero hora após a dobra de 16h, mantendo o pagamento de oito horas extras e o retorno imediato de 78 técnicos de operação desviados do regime de turno.

Petroleiros dizem não aos blindados na Reduc