Voz da Base – Animais na Regap Voz da Base – Animais na Regap

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 23 de março de 2018

voz-da-base“A natureza é muito sábia. Na face dos filhotes de uma espécie, há uma súplica para que outras colaborem para sua perpetuação. Isso funcionava bem, mesmo em empresas como a Regap. Aquele filhote de cachorro ou gato, imigrante das comunidades vizinhas, ora era adotado e levado para casa por algum funcionário, ora era recolhido por uma instituição que participava de um convênio com a refinaria.

Mas os tempos mudaram. O convênio foi substituído pela ameaça: “não alimentem os bichos aqui ou serão punidos”. Se cachorro que late, não morde, com o bicho homem é diferente. Um companheiro que assumiu o “crime” de alimentar os gatos na unidade 12 descobriu isso da pior forma: foi mandado embora na semana passada.
Tenham cuidado então, cães e gatos: se nós tratamos assim nossa própria espécie, o que será das demais?”

Operador da Regap

Sindipetro/MG cobra solução para animais na refinaria

Após receber a denúncia de que um trabalhador terceirizado da empresa Potencial havia sido demitido por alimentar um animal na Regap, o Sindipetro/MG foi até à empresa e à gerência da Petrobrás cobrar explicações. O responsável pela terceirizada na Regap confirmou a demissão do empregado e informou que ele já havia sido avisado sobre a proibição de alimentar animais nas dependências da refinaria.
Já a gerência de contratação da Regap informou que não sabia da demissão e afirmou que vai entrar em contato com a empresa para saber mais informações sobre o caso.
A diretoria do Sindipetro/MG também cobrou explicações sobre a situação dos animais que entram na refinaria. A Petrobrás informou que já está sendo assinado um contrato com uma empresa para recolher os animais e dar a correta destinação a eles. A previsão é de que, em no máximo 30 dias, o convênio já esteja firmado.

Entenda o caso
Em janeiro deste ano, petroleiros da Regap foram obrigados a assinar um documento em que a gerência da unidade proíbe o fornecimento de alimentos aos animais que forem encontrados na refinaria. Também os trabalhadores terceirizados foram informados sobre a norma.

No entanto, o contrato da Regap com uma organização não governamental que recolhia os cães e gatos que aparecem nas áreas da refinaria estava suspenso e sem previsão de solução definitiva para o problema. A orientação era de que os empregados que encontrassem algum animal entrassem em contato com o Setor de Apoio de Estrutura (SOP), que só funciona de segunda a sexta-feira, de 8h às 16h.

O Sindipetro/MG então denunciou a medida adotada pela empresa e o repasse da responsabilidade pela presença de animais aos empregados. Também passou a cobrar um novo convênio para dar destinação correta aos animais, que em alguns casos ficavam perdidos e sem alimentação e água na empresa.

Voz da Base – Animais na Regap