Abertura do VII PlenaFUP reafirma luta contra o golpe e pela defesa dos direitos da classe trabalhadora Abertura do VII PlenaFUP reafirma luta contra o golpe e pela defesa dos direitos da classe trabalhadora

Diversos, Eventos, Notícias, Tribuna Livre | 2 de agosto de 2018

abertura-plenafup2
A luta contra o golpe e suas consequências negativas contra os trabalhadores foi destaque na abertura do VII PlenaFUP, que aconteceu nesta quarta-feira (1), na quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Paraíso do Tuiuti, no Rio de Janeiro.

abertura-plenafupA edição do PlenaFUP de 2018 reuniu cerca de 250 petroleiros (as) de todo o País. Já a delegação mineira é composta por 19 pessoas, entre delegados, observadores e assessores. Além de representantes dos 13 sindicatos filiados à FUP, o evento também contou com a participação de integrantes das centrais CUT, CTB, das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e de movimentos sociais como MST, MAB, MPA, Levante Popular da Juventude, UBES, e do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas.

Com o tema “Petroleir@s pelo Brasil: Reagir, Lutar, Vencer”, a Plenária tem como objetivo debater estratégias de luta contra a privatização e contra o golpe, como explicou o coordenador da FUP, Simão Zanardi. Para isso, serão realizadas análises de conjuntura, debates e grupos de trabalho durante a Plenária.

Além disso, Zanardi reafirmou o apoio da Federação à candidatura de Lula à presidência e de Zé Maria a deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro. “Demos um passo importante ao reafirmar que Lula é nosso candidato. Daremos um passo ainda mais importante que é eleger lula e, depois, fazer Lula governar. Também é necessário que tenhamos uma voz dos petroleiros no Congresso Nacional, e hoje Zé Maria representa esse projeto que é nosso, da Federação Única dos Petroleiros, de seus sindicatos, de todos os trabalhadores e dos nossos aliados. Sua candidatura representa essa voz contra o golpe e a favor da classe trabalhadora.”

abertura-plenafup1O presidente da CUT, Vagner Freitas, destacou a importância da unificação dos movimentos, partidos e organizações de esquerda no enfrentamento ao golpe e à retirada de direitos dos trabalhadores. Para Freitas, o movimento sindical entendeu que a disputa, hoje, é ideológica e política e, por isso, a defesa de Lula Livre é o principal instrumento de luta dos trabalhadores brasileiros.

“O golpe não nos derrotou, ao contrário do que a mídia golpista diz. Eles prometeram mundos e fundos com a saída de Dilma e a prisão de Lula, mas a única coisa que aconteceu foi o aumento da insatisfação dos brasileiros a cada dia. Somos vitoriosos ao derrotar os conceitos por trás do golpe de que não temos que ter estado, participação política e democracia. As maiores preocupações do povo é com geração de emprego, com carteira assinada, saúde e educaçã. A população quer governantes que tenham preocupação com as políticas públicas. Por isso a direita patina e não consegue um candidato. Nós ganhamos o debate ideológico”, concluiu.

Paraíso do Tuiuti

O local de abertura VII Plenária Nacional da FUP, a quadra do Grêmio Recreativo Escola de Samba Paraíso do Tuiuti, vice campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 2018, foi de grande importância simbólica para a conjuntura política brasileira atual. A escola apresentou no Carnaval carioca de 2018 o enredo “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, questionando os 130 anos da Lei Áurea e denunciando a atual escravidão criada pelas reformas trabalhista e da Previdência.

No desfile, uma alegoria gigante de Michel Temer caracterizado como “vampiro” desfilou pelo Sambódromo, ao lado de “manifestantes fantoches” fantasiados de paneleiros com camisetas da CBF e de patos da Fiesp controlados pelas mãos gigantes da mídia.

Abertura do VII PlenaFUP reafirma luta contra o golpe e pela defesa dos direitos da classe trabalhadora