Cadê o tal “Compromisso com a Vida”? Cadê o tal “Compromisso com a Vida”?

Diversos, Opinião | 17 de agosto de 2018

Na ânsia por melhorias em seus indicadores de SMS, a direção da Petrobrás tem intensificado um discurso sobre as responsabilidades individuais de cada empregado – próprio ou terceirizado – quanto a segurança em suas unidades.

Basicamente, o que as gerências quiseram dizer foi o seguinte: “Vou reduzir o efetivo, vou reduzir as manutenções, vou rebaixar seus salários, vou retirar seus direitos, vou aumentar a pressão e vou te punir – mas, se você se acidentar, a culpa é sua!”

“PBO” e “PBS” no bolso. Camisa abotoada até estrangular o pescoço e para dentro da calça. Barba feita. “Regras de Ouro” decoradas, carimbadas na PT e penduradas no crachá. “Alerta de Horário Crítico!” – Nada disso foi capaz de proteger os trabalhadores envolvidos no gravíssimo acidente ocorrido no último dia 6, na Regap. É inadmissível que um de nossos companheiros esteja hoje internado em um hospital por erros e omissões da atual gestão da empresa.

O Sindipetro/MG tem acompanhado de perto a investigação sobre o acidente e espera que as causas do evento sejam tratadas e solucionadas, assim como em todas as situações de risco já relatadas pela categoria em outros setores.

Não admitiremos, entretanto, que a velha prática da Petrobrás de tentar culpar a vítima seja novamente utilizada para aliviar a barra dos verdadeiros responsáveis por essas tragédias anunciadas.

Se o tal “Fator Humano” é realmente preponderante para a ocorrência dos acidentes, que não nos esqueçamos daqueles seres humanos que precarizaram e sucatearam nossos locais de trabalho.

Cadê o tal “Compromisso com a Vida”?