Petroleira sofre queimadura  em acidente na Regap Petroleira sofre queimadura em acidente na Regap

Diversos, Notícias, De que lado você está?, Tribuna Livre | 13 de novembro de 2018

Uma operadora ficou ferida em um acidente na manhã do último domingo (11) na Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim (MG). A petroleira sofreu queimaduras nas pernas quando manuseava uma amostra de salmoura retirada da dessalgadora.
De acordo com informações apuradas pelo Sindipetro/MG, ao retirar a amostra do equipamento em um recipiente de vidro este teria soltado o fundo, derramando o líquido quente nas pernas da operadora. Após o acidente, a trabalhadora foi atendida no ambulatório da Regap e encaminhada para o Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte. Ela teve alta no mesmo dia e segue afastada até o dia 18 de novembro, quando retornará ao hospital para a reavaliação do caso.

A diretoria do Sindipetro/MG esteve no local onde ocorreu o acidente na segunda-feira (12) e realizou testes acompanhados de técnicos do setor. A princípio, foi constatado que o amostrador apresentou saída de 104°C, quando na plaqueta do equipamento consta a informação de que o produto deveria sair em temperatura ambiente.

Em um primeiro momento, isso revela que ou o resfriador do amostrador ou o trocador de calor anterior estão operando de forma ineficiente – o que, se for confirmado, reforçará a tese de falta de manutenção ou erro de projeto. No entanto, o Sindicato vai aguardar a avaliação da Comissão de Acidente instaurada para apurar as causas do fato.

O ano de 2018 foi marcado por diversos acidentes nas unidades da Petrobrás. Entre eles, estão a explosão e incêndio na Replan, em São Paulo, e o vazamento de ácido sulfúrico 98% na Regap, que deixou três trabalhadores feridos, um em estado grave.
Esses acidentes são reflexo da política de cortes de investimentos e privatização de ativos da atual gestão da Petrobrás. Tais medidas potencializam os riscos de acidentes, principalmente em função da redução de efetivos, da falta de manutenção das unidades e da consequente precarização das condições de trabalho.

O Sindipetro/MG reforça a importância da denúncia de situações de insegurança por parte da categoria. As denúncias devem ser enviadas para o e-mail imprensa@sindipetromg.org.br. O anonimato será mantido.