Sindicatos questionam mudanças no transporte das refinarias Sindicatos questionam mudanças no transporte das refinarias

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 15 de fevereiro de 2019

Uma mudança realizada no transporte dos petroleiros tem motivado inúmeras reclamações da categoria, especialmente na Replan (Paulínea – SP). Em março de 2018, a Petrobrás trocou o transporte dos empregados de turno até a refinaria de ônibus e micro-ônibus para vans e agora a empresa iniciou a mudança também na Reduc (Duque de Caxias – RJ).

Segundo o diretor do Sindipetro Unificado de São Paulo Gustavo Marsaioli, na Replan, as queixas são em relação aos padrões de segurança, ergonomia e conforto dos novos veículos – o que elevou, inclusive, a atendimentos no setor médico relacionados a problemas de coluna.

A mudança ocorreu há quase um ano e os trabalhadores já fizeram inúmeros atos e denúncias ao setor de transportes da Petrobrás, que resultou na abertura de um processo de negociação entre o sindicato e a empresa para melhoria desse sistema.

No final do ano passado, a gerência da Replan firmou um acordo com a categoria em que, a partir de março deste ano, um novo processo licitatório seria realizado para a contratação de vans mais confortáveis e seguras. “Nesse novo contrato, os bancos dos veículos teriam 50cm, os cintos seriam de três pontos e o veículo teria alça de acesso para subir e descer”, afirmou o diretor.

Entretanto, no início do ano, a Replan informou que a licitação seria adiada de março para outubro e, na semana passada, voltou atrás no acordo firmado. A gerência da unidade informou ao Sindicato que não respeitará o acordo pois haveria uma diretriz da sede para o novo sistema de transporte.

Agora, o Sindicato está realizando novas setoriais com os trabalhadores e organizando uma mobilização. “A gente está com uma pauta agora e vai votar mobilizações não só com questões de transporte, mas também com questões relacionadas à restrição de trazer alimentos de fora para a refinaria, problemas no tratamento de frequência. Então, vamos pressionar empresa para retomar acordo que já vinha sido firmado”.

Reduc

Já na caso da Reduc, a mudança teve início no dia 1° e a direção do Sindicato está realizando setoriais para ouvir os trabalhadores acerca dessa alteração. Entretanto, a instituição já informou que considera o transporte por vans mais inseguro e desconfortável e que transporte para trabalhadores de regime de turno é garantido pela Lei 5.811.

No entanto, na refinaria, as vans foram adaptadas para ficarem o mais parecido possível com os micro-ônibus que circulavam anteriormente. Até a substituição dos bancos foi viabilizada em Caxias, garantindo mais comodidade e segurança aos trabalhadores.