Caixa dois dos empresários financiou o golpe de 64 e a repressão Caixa dois dos empresários financiou o golpe de 64 e a repressão

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 28 de março de 2019

A Comissão Nacional da Verdade comprovou a participação de diversos empresários no golpe de 1964 e na sustentação da ditadura militar. O Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES) e o Instituto Brasileiro de Ação Democrática (IBAD) foram os instrumentos de financiamento utilizados por eles. Em depoimento à Comissão, Paulo Egydio Martins, governador “biônico” de São Paulo entre 1975 e 1979, afirmou que os empresários usavam dinheiro de caixa dois nas doações que faziam a estes institutos.

A Volkswagen, por exemplo, colaborou de forma ativa com a ditadura brasileira, como revelou a força tarefa investigativa formada pelo jornal alemão Süddeutsche Zeitung e pelas emissoras estatais NDR e SWR. Os jornalistas tiveram acesso exclusivo à investigação externa, ordenada pela própria empresa para tentar encobrir sua ligação com os agentes e órgãos de repressão do regime militar. “Operários eram presos na planta da fábrica e, em seguida, torturados: a colaboração da Volkswagen com a ditadura militar brasileira foi, aparentemente, mais ativa do que antes presumido”, revelou a reportagem do Süddeutsche Zeitung (saiba mais)

Alguns empresários participavam diretamente do esquema, subsidiando a estrutura de repressão da ditadura. O mais famoso deles, Henning Boilesen, do grupo Ultra, que controlava a Ultragaz, ajudou pessoalmente os militares a importar instrumentos de tortura. Um dos aparatos chegou a ser batizado com o nome do empresário, que também assistiu sessões de tortura no DOI-CODI de São Paulo.

Em 2009, o cineasta Chaim Litewski lançou o documentário “Cidadão Boilesen”, após 16 anos de investigações sobre a ligação do empresário dinamarquês, naturalizado brasileiro, que foi um dos principais financiadores da ditadura e teve participação direta na criação da temível Oban – Operação Bandeirante, que investigava e reprimia grupos da esquerda. O documentário mergulha a fundo na história de Boilesen, através de depoimentos, imagens e reconstituições de fatos narrados pelos entrevistados. Assista a seguir:

Fonte: FUP