Pressionado, Bolsonaro acelera venda de refinarias da Petrobrás Pressionado, Bolsonaro acelera venda de refinarias da Petrobrás

Diversos, Notícias, Tribuna Livre, Novidades, Política | 18 de abril de 2019

Menos de uma semana depois de o presidente Jair Bolsonaro (PSL) intervir na política de preços da Petrobrás, barrando o aumento de 5,7% no valor do diesel produzido nas refinarias da estatal, a ala ultraliberal representada pelo ministro da economia Paulo Guedes e o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, parecem ter colocado o presidente em seu lugar.

Além de anunciar que não irá intervir no preço dos combustíveis, numa clara submissão ao mercado, Bolsonaro também estaria disposto a iniciar o processo de venda das refinarias em junho deste ano. A informação foi publicada no Blog do João Borges na última quinta-feira (17). Segundo o comentarista da Globo News, a Petrobrás vai vender metade das refinarias do Sul, Sudeste e Nordeste do Brasil a partir de junho.

Borges também disse que o processo de venda das refinarias já está acertado com o Tribunal de Contas da União (TCU) e que o modelo de privatização será enviado ao Conselho Administrativo de Defesa e Econômica (Cade) ainda este mês. Na coluna, ele afirma que a Petrobrás espera arrecadar entre US$ 10 e US$ 15 bilhões com a venda das unidades, recurso que será usado para reduzir as dívidas.

Para o diretor da FUP e do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori, o momento é de conscientização e mobilização nacional em defesa da Petrobrás. “Bolsonaro percebeu o quanto a política de preços da Petrobrás é insana e gera insatisfação no povo brasileiro, não somente nos caminhoneiros. O mercado financeiro e a grande mídia não demoraram para reagir à intervenção de Bolsonaro, já que aquilo colocava em risco a privatização das refinarias. Nosso papel agora é construir a mobilização nacional da categoria diante desse quadro tão difícil, mas acima de tudo esclarecer a população sobre os prejuízos que a privatização irá trazer”, afirmou.