Petrobrás “requenta” descoberta de reserva de gás e já anuncia sua venda Petrobrás “requenta” descoberta de reserva de gás e já anuncia sua venda

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 21 de junho de 2019

Nos últimos dias, a imprensa repercutiu a notícia de que a Petrobrás teria feito uma nova descoberta na bacia de Sergipe e Alagoas, que seria o maior feito da empresa desde o pré-sal.

Ao todo são seis campos de petróleo com capacidade de produção de 20 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia – o equivalente a um terço da produção atual brasileira – e que poderia render à Petrobrás uma receita anual de R$ 7 bilhões.

No entanto, as novas descobertas teriam ocorrido há pelo menos cinco anos e algumas já tinham sido até noticiadas pela imprensa, como foi o caso de Poço Verde. Ou seja, a empresa já tinha conhecimento dessas reservas, mas o governo Jair Bolsonaro esperou para divulgar a informação, favorecendo assim interesses no setor de gás.

Não por acaso, no rastro da notícia da “nova descoberta”, a Petrobrás já comunicou ao mercado a intenção de vender participações de 20% a 35% nos blocos onde tem a concessão desses campos de gás.

Além disso, após a repercussão, a própria empresa divulgou nota reiterando que as descobertas não são novas: “A Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, em relação às notícias veiculadas na mídia, sobre descoberta de gás natural na Bacia de Sergipe, esclarece que foram confirmadas, nos últimos anos, seis descobertas em águas profundas na Bacia de Sergipe: Cumbe, Barra, Farfan, Muriú, Moita Bonita e Poço Verde, conforme já divulgado ao mercado”.

Também não é de hoje que o ministro da Economia, Paulo Guedes, vem falando sobre um pacote de medidas do governo para abrir o mercado de gás natural, o que segundo ele poderia reduzir pela metade o custo do combustível para o consumidor.

A proposta vinha enfrentando dificuldades, pois diversos especialistas questionavam a viabilidade da medida sem uma reforma ampla no setor ou alguma mudança na dinâmica do mercado.

Esses fatos reforçam que todo esse alarde agora não passa de uma jogada de mercado para atrair possíveis investidores interessados na exploração dos campos “recém-descobertos”.

Outro fato que também corrobora a intenção da Petrobrás de não ter feito grande alarde sobre as descobertas à época é que a estatal esperou a conclusão do processo de privatização da Transportadora Associada de Gás (TAG).

A venda ocorreu três dias antes e foi viabilizada apenas uma semana após o Supremo Tribunal Federal (STF) liberar a venda de subsidiárias de estatais sem a necessidade de licitação ou aprovação do Congresso Nacional.

“A Petrobrás vende a sua transportadora de gás já sabendo que dependeria dela para escoar sua produção. Agora, diante dessa ‘nova descoberta’, fica mais evidente o crime que estão cometendo contra a soberania nacional e o patrimônio do povo”, afirmou o diretor da FUP e do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori.