Sindicatos conquistam suspensão da votação de tabela de turno Sindicatos conquistam suspensão da votação de tabela de turno

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 24 de junho de 2019

Após dois dias de reunião sobre a Tabela de Turno Ininterrupto de Trabalho, a Petrobrás aceitou suspender o processo de votação de uma nova tabela e agendou para o dia 26 de junho o início das negociações junto aos sindicatos da FUP e FNP.

A construção da atual tabela é resultado da luta da categoria em 1992, e que tem cumprido sua função até os dias de hoje. Porém, a atual direção da Petrobrás resolveu por alterar toda rotina dos trabalhadores de forma unilateral visando o melhor para a empresa e não para os trabalhadores.

Petrobrás mente sobre “origem” da nova tabela de turno

Sem argumentos para justificar a imposição de uma nova tabela de turno, a gestão da Petrobrás recorreu à velha tática do “bode expiatório”. Uma das “justificativas” alegadas pela empresa seria uma suposta Ação Trabalhista movida pelo Sindipetro-RS, o que não é verdade.

O Sindipetro jamais questionou judicialmente a tabela de turno. Pelo contrário, os petroleiros da Refap têm um pleito histórico pelo seu cumprimento – uma luta que começou há mais 15 anos com denúncia ao Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre a extensão excessiva de jornada praticada na refinaria, por conta da redução de efetivos.

A denúncia resultou em uma Ação Civil Pública, que já foi julgada em duas instâncias, obrigando a Refap a cumprir a jornada de trabalho e garantir aos petroleiros as folgas previstas na tabela, além do cumprimento do interstício e do descanso semanal.

Essa é a luta que a Petrobrás distorce para tentar transferir a responsabilidade de um problema que ela própria criou ao desrespeitar jornadas.