FUP e FNP seguem em negociações com a Petrobrás sobre o ACT 2019-2021 FUP e FNP seguem em negociações com a Petrobrás sobre o ACT 2019-2021

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 28 de junho de 2019

Acontece nesta semana e na próxima várias reuniões de negociação sobre diversos temas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da categoria petroleira.

Na terça (25), quarta (26) e quinta-feira (27) foram debatidas a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), custeio da AMS e também a nova tabela de turno.

No caso da PLR, a Petrobrás insiste em manter seu Programa de Remuneração Variável do Empregado (PRVE) e o Programa de Prêmio por Performance (PPP), implantados pela companhia à revelia das entidades sindicais e que são considerados pelas federações de petroleiros como injustos.

Já em relação à tabela de turno, a Petrobrás concordou em manter suspensa a implementação de novas tabelas nas refinarias. A empresa também se comprometeu a retomar o regime de trocas que era praticado antes de iniciar o processo de escolha das novas tabelas.

As entidades sindicais querem incluir também na negociação questões como dobras por falta de efetivo, trocas e permutas, bem como o retorno das férias, que estão diretamente relacionadas ao Regime de Turno Ininterrupto de Revezamento. Porém, sobre esses pontos, a Petrobrás irá se posicionar nos próximos 15 dias.

Em relação à AMS, a Petrobrás insiste na mudança do custeio para 65 x 35, enquanto os sindicatos defendem a manutenção em 70 x 30, como é atualmente. As federações também cobraram a manutenção de todas as cláusulas referentes à AMS no Acordo.

Também ocorreu nesta quinta-feira uma reunião sobre SMS, onde as federações reafirmaram que saúde e segurança não podem ser tratadas pelos gestores da Petrobrás como custo e menos ainda utilizadas como ferramentas de cooptação, punição e sonegação.

Enquanto isso, a Petrobrás insiste na proposta rejeitada, cujo capítulo de SMS foi praticamente desmontado. Das atuais 19 cláusulas, os gestores mantiveram somente três, retiraram duas e alteraram 14, com reduções de direitos.

Ainda acontecerão até o dia 3, reuniões sobre os resultados da Petrobrás, horas extras, relações sindicais e terceirização e remuneração e vantagens.

Leia mais sobre as negociações desta semana: