Sindipetro/MG convoca assembleias para rejeição da nova proposta da Petrobrás Sindipetro/MG convoca assembleias para rejeição da nova proposta da Petrobrás

Diversos, Notícias, De que lado você está?, Tribuna Livre | 9 de julho de 2019

O Sindipetro/MG realiza assembleias entre os dias 10 e 19 de julho para a rejeição da proposta de renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) apresentada na última semana pela Petrobrás. Serão realizadas assembleias com trabalhadores da Regap, Termelétrica Aureliano Chaves, Usina de Biodiesel Darcy Ribeiro e Termelétrica de Juiz de Fora.

A proposta foi entregue à categoria após duas semanas de negociações com os dirigentes sindicais, mas resultou em mais do mesmo: uma proposta que atenta contra a categoria ao retirar inúmeros direitos, atacar a organização sindical e reduzir benefícios e remuneração.

Além disso, nesta sexta-feira (12), a Petrobrás pagará R$ 1,041 bilhão em bônus via Programa de Remuneração Variável do Empregado (PRVE) – que beneficia os altos cargos em detrimento dos trabalhadores. No entanto, em sua proposta de renovação do Acordo, ela prevê 1% de reajuste salarial aos trabalhadores – que não cobre sequer a inflação do período, cuja projeção é de 4%.

Entre outras coisas, a proposta praticamente acaba com as horas extras; muda a forma de pagamento das férias; altera o custeio da AMS; retira as cláusulas de Realocação de Pessoal, Excedente de Pessoal e Dispensa Sem Justa Causa, de modo a permitir demissões em massa; e ainda ataca a organização sindical, retirando as liberações e acabando com as contribuições sindicais, conforme previsto na Constituição Federal.

Por isso, o indicativo da FUP e da FNP – que participam das negociações com a Petrobrás em mesa conjunta – é de rejeição da proposta e de mobilizações contra a tentativa da empresa de retirada de direitos.

Veja aqui o edital da Regap e Termelétrica Aureliano Chaves

Veja aqui o edital da Termelétrica de Juiz de Fora

Veja aqui o edital da Usina de Biodiesel Darcy Ribeiro 

Veja abaixo a nova proposta da Petrobrás:

 

Leia mais: