Sindicatos definem assembleias para rejeitar proposta do TST e aprovar data de greve Sindicatos definem assembleias para rejeitar proposta do TST e aprovar data de greve

Diversos, Notícias, De que lado você está?, Tribuna Livre | 3 de outubro de 2019

Em Conselho Deliberativo na última terça (1°) e quarta-feira (2), a FUP e seus sindicatos decidiram submeter a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) às assembleias.

A decisão atende a uma cobrança do TST, mas o indicativo da Federação é de rejeição da proposta, tendo em vista que esta não atende às reivindicações da categoria petroleira e retira direitos.

Ainda segundo a FUP, o indicativo de rejeição tem como objetivo a continuidade das negociações, seja por meio de mediação ou em mesa com a Petrobrás. Em documento encaminhado à Federação, o próprio TST ressaltou que as entidades sindicais podem aprovar, rejeitar ou criticar a proposta apresentada. Diante disso, no dia 26 de setembro, a FUP protocolou no Tribunal um documento destacando itens que ainda precisam ser discutidos, tais como: a vigência do acordo, a AMS, a questão das horas extras e a promoção de pleno para sênior.

Sendo assim, a Federação construiu um calendário com assembleias entre os dias 7 e 17 de outubro que, além da rejeição da proposta, devem avaliar os itens encaminhados ao TST. Também será ponto de pauta das assembleias o condicionamento da assinatura do ACT, em caso de eventual aprovação da proposta, à assinatura dos acordos das subsidiárias e da Araucária Nitrogenados.

Também foi definido no Conselho Deliberativo um indicativo de greve a partir de 26 de outubro, caso as negociações não sejam retomadas.

Nos próximos dias, será divulgado o edital com o quadro das assembleias do Sindipetro/MG.

Leia mais: