Assédio: gerência da Regap corta internet de operadores Assédio: gerência da Regap corta internet de operadores

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 18 de outubro de 2019

Na semana passada, os trabalhadores da Regap foram surpreendidos com o corte do acesso à internet nas unidades operacionais. O caso se deu justamente em meio às assembleias de rejeição da proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) para o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da categoria e, às vésperas do início da greve dos petroleiros – marcada para acontecer a partir de 26 de outubro.

Em um primeiro momento, a atitude partiu da gerência do Hidrotratamento e Coque (HC), ao que tudo indica, em uma clara perseguição aos trabalhadores do setor tendo em vista que esse já é um comportamento reincidente por parte do gerente local. Entretanto, a medida agora se ampliou por outras áreas – agora, com o aval da gerência geral da Regap.

“Não é de hoje que a gerência da Regap assedia os operadores e tenta criar um clima de terror na refinaria. É a mesma gerência que ameaçou supervisores e tentou emplacar o voto por procuração nas últimas assembleias. São também os mesmos responsáveis por ameaçar aplicar advertências para grupos inteiros de turno, além de implementar novas regras para as dobras – o que tem provocado sobrecarga de trabalho. Esses gerentes têm lado e querem nos desmobilizar. A nossa resposta será dada na greve”, disse o diretor do Sindipetro/MG, Felipe Pinheiro.

Assédio: gerência da Regap corta internet de operadores