Assembleias avaliam proposta da FUP para tabelas de turno na Petrobrás Assembleias avaliam proposta da FUP para tabelas de turno na Petrobrás

Diversos, Notícias, Publicações | 13 de dezembro de 2019

As bases da Federação Única dos Petroleiros (FUP) no Sistema Petrobrás, cujos trabalhadores atuam em turno ininterrupto de revezamento, estão realizando assembleias para referendar a proposta que a Federação apresentou ao RH, na rodada de negociação que tratou do tema. A FUP propôs a manutenção das atuais tabelas de turno, através de um termo aditivo ao Acordo Coletivo.

A Petrobrás, no entanto, rompeu o processo de negociação e, de forma unilateral, submeteu aos trabalhadores quatro tabelas de turno para que sejam votadas em um plebiscito sem legitimidade. A gestão da empresa ainda impôs a condição de que a tabela mais votada só seja adotada se houver acordo com os sindicatos. Caso contrário, a tabela adotada será a tabela X ou “3×2 literal”.

Como a Petrobrás pode exigir acordo com as entidades se promove um plebiscito à revelia da negociação nacional? A FUP e seus sindicatos apresentaram propostas e calendário para negociação, mas a empresa preferiu seguir o caminho do conflito. A consulta ilegítima que a Petrobrás está fazendo pode acarretar risco jurídico aos trabalhadores, ao ser considerada uma forma de negociação individual.

Minas Gerais As assembleias realizadas pelo Sindipetro/MG analisam junto com a categoria mineira a proposta dos sindicatos. Até o momento foram realizados debates com três grupos, sendo que a última rodada acontece nesta sexta-feira. A parcial aponta que o apoio a proposta de manutenção das atuais tabelas de turno conta com ampla maioria.

Durante as assembleias, estão sendo debatidos todo o histórico de negociações, os detalhes jurídicos, os problemas criados pela gestão da Petrobrás e as soluções propostas pelas representações sindicais. Além do detalhamento de questões como efetivos, horas extras, trocas e saldo negativo de folgas, entre outros temas que a FUP e os sindicatos pautaram no processo de negociação que foi rompido pela gestão da Petrobrás.

Com informações da FUP.