Ato na Regap protesta contra demissões em massa no Sistema Petrobrás Ato na Regap protesta contra demissões em massa no Sistema Petrobrás

Diversos, Notícias | 17 de janeiro de 2020

Petroleiros e petroleiras de Minas Gerais se reuniram hoje, na portaria da Regap, para protestar contra o anúncio de demissão em massa na Araucária Nitrogenados S/A (Ansa/Fafen-PR). O fechamento da unidade, com demissão de cerca de mil trabalhadores, entre efetivos e terceirizados, e as ameaças de privatização que rondam as refinarias estão despertando a resistência da categoria em todo o país. O ato contou com a participação de representantes da CUT/MG, Sintect/MG, Sindicato dos Bancários de BH e Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

O diretor Alexandre Finamori esteve em Curitiba, Paraná, e presenciou o cenário de desolação em que se encontram os trabalhadores demitidos sem negociação.“Eu não desejo para ninguém o que eu vi lá. É deplorável a situação. Eles receberam as informações pela imprensa”, afirmou o diretor, hoje, durante ato na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Diante do cenário de demissões e ataques aos direitos da categoria, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e sindicatos indicam greve a partir de 1° de fevereiro. As assembleias para posicionamento dos trabalhadores sobre o indicativo serão realizadas entre os dias 20 e 28 de janeiro.

Reivindicações

Antes de ser surpreendida com as demissões anunciadas no Paraná, a categoria petroleira já convivia com uma série de ataques por parte da atual gestão da Petrobrás. O diretor do Sindipetro/MG Felipe Pinheiro afirma que a empresa está descumprindo o Acordo Coletivo de Trabalho, construído com a mediação do Superior Tribunal do Trabalho (TST), e tomando medidas unilaterais em relação às tabelas de turno, interstício, horas extras, PLR e transferências.
“Foram criados grupos de trabalho para realizar essas negociações, mas a empresa não está negociando. A gestão simplesmente coloca a proposta dela e dá um tempo para o sindicato aceitar. Se não aceitar, ela faz o que quer”, disse Felipe.

Em relação às demissões na Fafen/PR, a categoria exige o cumprimento da cláusula 26 do Acordo Coletivo de Trabalho da Araucária Nitrogenados, segundo a qual “a Companhia não promoverá despedida coletiva ou plúrima, motivada ou imotivada, nem rotatividade de pessoal (turnover), sem prévia discussão com o Sindicato. Excetuam-se do previsto nesta cláusula os planos de demissão voluntária ou incentivada, bem como os processos de movimentação interna dos empregados”.

Ato na Regap protesta contra demissões em massa no Sistema Petrobrás