No 8º dia de greve, ação “Gás a Preço Justo” beneficia comunidade em BH No 8º dia de greve, ação “Gás a Preço Justo” beneficia comunidade em BH

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 8 de fevereiro de 2020

Famílias da Ocupação Pátria Livre, no bairro Santo André, em Belo Horizonte, foram beneficiadas pela ação “Gás a preço justo”.  Ao todo, foram oferecidos à população 200 botijões de gás de cozinha ao preço de R$40.  Atualmente, o valor do botijão de gás pode chegar a R$ 95 na capital.

A atividade foi subsidiada pelo Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro/MG) com o objetivo de mostrar que é possível vender o produto a um preço acessível, ao contrário do que é praticado pelo Governo Bolsonaro.

De acordo com o diretor do Sindipetro/MG Alexandre Finamori, o valor cobrado pelos combustíveis, dentre eles o gás de cozinha, é abusivo. Ele explica que isso se deve ao fato dos preços acompanharem o dólar, obedecendo a interesses estrangeiros e prejudicando a população brasileira.

“A alta dos preços faz parte do processo de venda da Petrobrás, que inclui a Refinaria Gabriel Passos, em Betim. Nós, que trabalhamos na empresa e conhecemos a produção, não concordamos com o isso. Defendemos uma Petrobrás pública, que o Governo Federal olhe para o povo e barre o aumento dos  preços”, afirmou o diretor.

Além dos petroleiros em greve, participaram da ação o Movimento das Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos  (MTD) e o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), apoiadores do movimento grevista.

Greve

A iniciativa fez parte das ações da greve dos petroleiros que já atinge 88 unidades em 13 estados brasileiros. A categoria protesta contra a demissão em massa e sem negociação de mil trabalhadores, efetivos e terceirizados, da Araucária Nitrogenados/ Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (ANSA/Fafen-PR), e alerta sobre os prejuízos causados pela privatização do Sistema Petrobrás.

Em Minas, o movimento teve início em 31 de janeiro e conta com 90% de adesão dos setores operacionais da Termelétrica de Ibirité (UTE-Ibirité) e Refinaria Gabriel Passos (Regap).

Auditores fiscalizam Regap

Após denúncia feita pelo Sindipetro/MG ao Ministério Público do Trabalho (MPT), a Delegacia Regional do Trabalho realizou, na sexta-feira (7), força tarefa para verificar a situação dos trabalhadores que estão dentro da Refinaria desde o dia 31 de janeiro, início da greve.

No local, os auditores fiscais do trabalho constataram diversas irregularidades relativas a jornadas extenuantes. Os autos de infração devem ser entregues à gestão da empresa na próxima semana, e o resultado da auditoria encaminhado ao MPT para as providências cabíveis.