Coronavírus: Sindipetro/MG se reúne com gerência da Regap e cobra transparência Coronavírus: Sindipetro/MG se reúne com gerência da Regap e cobra transparência

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 23 de março de 2020

O Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro/MG) participou de videoconferência nesta segunda-feira (23) com a gerência da Refinaria Gabriel Passos (Regap), na qual cobrou transparência na comunicação das ações relacionadas à proteção dos petroleiros contra o coronavírus.
A reunião foi solicitada pelo próprio Sindicato e contou com a participação de representantes do RH, Setor Médico e SMS. Apesar do avanço no diálogo, o Sindipetro/MG cobrou a participação da entidade no Grupo de Trabalho instalado na Refinaria sobre o tema. No entanto, o pedido ainda não foi atendido. O não atendimento da solicitação levou o Sindicato a denunciar a Regap ao Ministério Público do Trabalho e à Delegacia Regional do Trabalho.

Medidas solicitadas oficialmente pelo Sindicato
Dentre as medidas solicitadas pelo Sindicato e oficializadas por meio de ofício no dia 20/03, estão: afastamento médico com remuneração para todos os funcionários com sintomas suspeitos de coronavírus; obrigatoriedade do uso de máscaras e luvas para todos os trabalhadores; redução das aglomerações; intensificação das rotinas de higienização; suspensão dos trabalhos não essenciais, com adoção de regime de sobreaviso e teletrabalho para próprios e terceirizados; fechamento das salas de refeição em grupo e adoção de alimentação individual; licença remunerada de todos os empregados próprios e terceirizados, maiores de 60 anos, integrantes de grupos de risco e pais de filhos menores, em idade escolar, e de filhos com necessidades especiais.

Na reunião realizada na segunda-feira (23), os gestores da empresa afirmaram que vão responder sobre as propostas do Sindicato, porém ainda aguardam informações do comitê nacional da empresa.

Abaixo, seguem as demais cobranças do Sindipetro/MG na reunião e as respostas da gestão da Regap:

Terceirizados
O Sindipetro/MG cobra a extensão das medidas implementadas aos trabalhadores próprios a todos os empregados terceirizados, especialmente em relação ao transporte e às jornadas de trabalho.

A gerência da Regap informou que se reuniria nesta segunda-feira (23) com representantes das empresas terceirizadas para cobrar a extensão das medidas aplicadas aos próprios.

CIC
Foi solicitado o deslocamento do controle das unidades para as casas de controle locais, nos setores onde for possível realizar a mudança.
A empresa respondeu que está avaliando a proposta junto aos setores de Higiene Ocupacional e Saúde. Em contrapartida, o Sindicato cobrou uma resposta oficial da empresa, com laudo técnico, caso não seja implementada a medida sugerida.

Casos suspeitos de Covid-19
Foi solicitada maior transparência por parte da gestão da Regap, que deve manter o Sindicato e a categoria atualizados sobre os casos suspeitos atuais, sejam de pessoas afastadas por precaução ou em condição de quarentena. Assim como, a compra de testes rápidos para serem realizados em casos suspeitos, uma vez que a estratégia de testes em massa foi um diferencial em alguns países e está sendo estudada pelo Ministério da Saúde.

Em relação às informações, a empresa afirma que estão disponíveis nos canais internos, resguardada a não exposição individual dos envolvidos. Nesta segunda-feira (23), a Gerência enviou os informes ao Sindicato. Sobre os testes rápidos, a empresa disse que a solicitação será encaminhada para avaliação no comitê nacional da Petrobrás.

Tabela 12×36 para o administrativo
O Sindicato ressaltou que a adoção do regime de trabalho 13×36 para setores em regime administrativo se trata de medida unilateral da empresa. Diante desse fato, a proposta do sindicato continua sendo a que foi enviada pelos ofícios: “Extensão da licença remunerada, garantida a irredutibilidade salarial e a manutenção do emprego, para outros grupos de trabalhadores em regime de turno administrativo, como os setores de manutenção, inspeção, laboratório, SMS, etc. Nesses casos, os trabalhadores poderiam ser acionados em condição de sobreaviso, caso haja necessidade imperiosa da gestão da empresa.”

Orientações
O Sindipetro/MG orienta que os trabalhadores sigam as orientações de prevenção ao Covid-19, especialmente quanto à higienização durante a jornada de trabalho. O Sindicato seguirá cobrando o estabelecimento de um canal de diálogo efetivo com a empresa, de forma a garantir a participação dos trabalhadores na construção de medidas de combate ao Covid-19.

De acordo com Alexandre Finamori, diretor do Sindipetro/MG, “o Sindicato entende que o momento é grave e que nossa categoria tem uma responsabilidade importante em garantir serviços essenciais para ajudar a sociedade enfrentar esse momento tão difícil. No entanto, para isso, é preciso garantir, acima de tudo, a integridade física de nossa categoria”.

Coronavírus: Sindipetro/MG se reúne com gerência da Regap e cobra transparência