EDITORIAL: 2020 une categoria EDITORIAL: 2020 une categoria

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 23 de dezembro de 2020

O ano de 2020 mal havia começado e uma greve histórica já anunciava as lutas que estavam por vir.

Na noite de 31 de janeiro,  petroleiras e petroleiros de Minas Gerais iniciaram mais uma batalha. De um lado, trabalhadores se colocaram na linha de frente para defender a maior empresa da América Latina e a soberania nacional. Do outro, o Governo sedento por entregar as riquezas do país aos estrangeiros.  

Como sempre, a categoria mostrou sua força e capacidade de luta. A greve foi um salto organizativo na categoria, com tarefas cotidianas na grama em frente à refinaria e junto à sociedade. Assembleias, panfletagens, bicicletada, almoço com a participação das famílias, além de campanhas. A campanha Gás a Preço Justo, por exemplo, realizada dentro da programação da greve, ofereceu botijões de gás a população mais pobre da cidade por R$40,00. 

Mas logo depois, iniciamos um dos períodos mais duros para o país, talvez um dos mais difíceis para a humanidade: a pandemia. Embora tenha matado milhares no mundo todo, a Covid-19 atingiu com mais crueldade as populações historicamente excluídas. 

A parte mais pobre da sociedade sofreu não só com a doença, mas com a crise econômica que ela agravou. O capitalismo vive em ciclos de crises econômicas, e a crise  de 2008, que ainda não tinha fechado seu ciclo, se agravou com a pandemia. No Brasil, se intensificou ainda mais pela incompetência dos governantes.

Novamente, a categoria não fugiu à luta. Mostrando na prática o sentido da solidariedade de classe, a campanha Petroleiros Pela Vida arrecadou recursos convertidos em alimentos e produtos de higiene. A ação ganhou tamanho, projeção e apoio para além dos petroleiros e petroleiras. Nossas doações foram direcionadas para famílias em vulnerabilidade social em Ibirité, próximo à refinaria, e em ocupações urbanas onde movimentos sociais atuam. 

Nesse contexto de ataques à classe trabalhadora, crise sanitária e desmonte da Petrobras, ocorreu a eleição da nova diretoria do Sindipetro/MG. Lutadores que  historicamente tinham algumas divergências, mas que sempre estiveram do mesmo lado na defesa dos trabalhadores, se uniram em uma única chapa. Um momento histórico da nossa categoria. As pequenas divergências que nos separavam eram irrisórias frente ao inimigo que quer exterminar nossos direitos, empregos e soberania. O Sindipetro/MG se tornou exemplo para o sindicalismo petroleiro de que a unidade, além de possível, é necessária.

Também lutamos para preservar a vida e a saúde da categoria petroleira. Entendemos que prestamos serviços essenciais à sociedade brasileira e não pudemos parar nosso trabalho. No entanto, o Sindicato esteve firmemente ao lado de cada um e cada uma para cobrar que a empresa cumprisse os protocolos de saúde.

Este ano foi tão atípico, que tivemos que lutar até mesmo pelo direito ao voto nas eleições municipais. Um direito garantido há décadas quase foi por água abaixo, uma vez que a gerência da Regap não tinha a inteção de liberar os trabalhadores para votar. Graças à ação do Sindipetro/MG a situação foi revertida.

Quando pensávamos que não poderia piorar, tivemos outro duro golpe. O derramamento de 100 mil litros de óleo diesel na lagoa em Betim e Ibirité. A tragédia aconteceu meses após a privatização da BR Distribuidora. O que só comprova, mais uma vez, as tragédias causadas quando o lucro é colocado acima da vida. 

Diante de tamanhas dificuldades, não estamos desanimados. Pelo contrário, é com o espírito fortalecido pela luta que entramos em 2021. Com a certeza de que temos muita força para continuar e de que precisamos da união em contra o desmonte das estatais, contra as privatizações, pelos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras e pela soberania do nosso país.

 

Abaixo, leia a retrospectiva 2020 que preparamos para você:

Resumo de 2020: lucro acima da vida

Sindipetro cobra da gerência enfrentamento à pandemia e proteção aos trabalhadores

Comitê Mineiro em Defesa do Sistema Petrobras une diferentes setores contra a privatização

“Petrobrás Fica em Minas” conscientiza população sobre prejuízos com a venda da empresa

Greve mostra força da categoria

Unir a classe para derrotar o governo

Principais ações do Secretaria Jurídica do Sindipetro/MG em 2020