Petrobras e PBio usam “impossibilidade jurídica” como desculpa para não realocar petroleiros de Montes Claros Petrobras e PBio usam “impossibilidade jurídica” como desculpa para não realocar petroleiros de Montes Claros

Diversos, Notícias, Tribuna Livre, Novidades | 22 de abril de 2021

A manutenção dos empregos dos trabalhadores da Petrobras Biocombustíveis (PBio) de Montes Claros é uma “impossibilidade jurídica”, segundo a empresa. A justificativa, que é na verdade uma desculpa para uma decisão gerencial incabível, foi dada à diretoria do Sindipetro/MG, que se reuniu com representantes da PBio e da sede da Petrobras nesta quinta-feira (22).

A reunião aconteceu após a aprovação da greve por parte da categoria no norte de Minas, no dia 12 de abril. A greve reivindica a manutenção dos empregos dos trabalhadores concursados da PBio, que já receberam todo o treinamento para atuar na empresa e ouviram, em 2019, a falsa promessa de que seriam realocados a outras áreas do Sistema Petrobras em caso de venda da holding.

Agora, porém, o discurso da empresa mudou: segundo ela, a PBIO será alienada e os concursados serão transferidos junto com os maquinários, para serem demitidos pelo comprador.

Mais uma decisão que prejudica a própria empresa, já que manter os trabalhadores na Petrobras vai trazer benefícios. Hoje, a empresa sofre com a falta de pessoal qualificado em seu quadro de funcionários devido à saída de trabalhadores no PIDV, realizados com a expectativa de venda de refinarias em um prazo que não se concretizou. 

“Sabemos que a transferência dos mais de 150 trabalhadores e trabalhadoras da PBio para serem demitidos pelo comprador é uma decisão gerencial e não limite legal. Se a empresa já alternou o modelo de venda por mais de uma vez, se for necessário, que alterne novamente e mantenha os empregos”, argumentou o coordenador do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori.

Apesar de os advogados da PBio afirmarem que há impossibilidade jurídica para a realocação dos petroleiros, o departamento jurídico do Sindipetro/MG entende que a transferência é sim possível e afirma que há casos anteriores semelhantes a esse. Por isso, o Sindicato também solicitou que a empresa busque outros advogados para evitar conflitos.

Os representantes da PBio se comprometeram a levar os pleitos colocados pelo Sindicato à diretoria da holding e dar uma resposta sobre as reivindicações da categoria até a próxima quarta-feira (28). O representante da sede da Petrobras não quis se pronunciar durante a reunião, mas afirmou estar em total acordo com os advogados e o gerente de RH da PBio.