Terrorismo no Grupo 4 do TE Terrorismo no Grupo 4 do TE

Diversos, Notícias | 9 de setembro de 2013

O supervisor do Grupo 4 do TE continua como um “Capitão do Mato” no interior da Regap. Está fazendo ronda na área e, segundo ele, se pegar algum operador cochilando, vai fotografar e enviar ao gerente do setor e ao gerente geral para que o trabalhador seja punido. O “Capitão do Mato” determinou que os operadores que estão na casa de controle fiquem o tempo todo de frente para o computador. Ele vai ficar vigiando para punir quem não cumprir mais essa regra maluca. Mas não é só isso que o “supervisor” do Grupo 4 quer impor aos trabalhadores.

Agora, os trabalhadores não podem ficar mais de 10 minutos no vestiário. Se esse tempo for ultrapassado, ele disse que irá ao local, pois para o “Capitão do Mato”, o operador só pode estar cochilando e não está prestando serviço à empresa”. Este “supervisor” já ultrapassou todos os limites! Essa atitude de vigiar o trabalhador até no banheiro acontecia no início da Revolução Industrial, isto é: há séculos!

Utilizar “técnicas administrativas” ultrapassadas mostra o quão incompetente é este “supervisor”. Mostra, também, que a administração da Regap aceita e convive com atitudes e métodos que há muitos anos foram deixados de lado pelo sistema capitalista. É importante frisar que foram deixados de lado não porque as empresas ficaram mais humanas, mas sim, porque estavam diminuindo os lucros. É impressionante como ainda tem supervisor que acha que perseguir e humilhar trabalhador é a melhor forma de aumentar a produtividade.

Essas atitudes do século 18 e 19 pioram o ambiente de trabalho e faz cair o rendimento dos trabalhadores, como já foi provado séculos atrás. Impressiona, também, que uma empresa como a Petrobrás, que se diz moderna e de ponta, ainda tem supervisores tão ultrapassados. Do jeito que as coisas andam no Grupo 4 do TE, daqui a pouco esse “supervisor” vai querer a volta da escravidão.

O Sindipetro/MG denunciou esses graves fatos à gerência do setor. Não vamos aceitar que um “Capitão do Mato” venha impor uma administração ultrapassada e que fere a dignidade dos trabalhadores. Os operadores do Grupo 4 devem ficar atentos, e qualquer atitude autoritária da supervisão, procurar o sindicato.

Sindipetro/MG

Terrorismo no Grupo 4 do TE