Covardia do governo coloca em risco pré-sal e Petrobrás Covardia do governo coloca em risco pré-sal e Petrobrás

Diversos, Notícias | 26 de fevereiro de 2016

O governo Dilma abriu o caminho para a privatização do pré-sal, atingindo em cheio a Petrobrás. Um substitutivo ao PLS 131, que Serra havia prometido às multinacionais, foi costurado nos bastidores do Planalto e aprovado pelo Senado na quarta-feira, 24.

Em acordo feito com o PSDB e parte da bancada do PMDB, o governo aceitou renunciar à garantia legal que a Petrobrás tem de ser a operadora única do pré-sal. Um duro golpe aos interesses nacionais, que atinge diretamente a estatal, no momento em que o acionista majoritário deveria agir para fortalecer a empresa e não enfraquecê-la ainda mais.

A covardia do governo diante de um tema tão estratégico para o país poderá custar caro à nação e ao povo brasileiro. Se o projeto passar pela Câmara e for sancionado por Dilma, a Petrobrás e o pré-sal ficarão totalmente reféns dos interesses dos governos de plantão.

O que está em risco não é só a soberania, mas também a indústria brasileira, pois o projeto terá impactos graves sobre a política de conteúdo nacional, já que a única petrolífera que investe de fato no país é a Petrobrás.

Tudo indica, portanto, que o governo aceitou abrir mão de uma política de Estado para o pré-sal, ao sucumbir de vez às imposições do mercado, da mesma forma que vem fazendo com a Petrobrás.

O povo brasileiro não assistirá de braços cruzados as multinacionais se apossarem da maior riqueza do país.

A FUP e seus sindicatos continuarão mobilizando a sociedade, junto com os parlamentares comprometidos com a soberania nacional, em defesa da Petrobrás, do pré-sal e contra os entreguistas. 

CONFORME PROMETIDO ÀS MULTIS, SERRA INICIA O DESMONTE DO REGIME DE PARTILHA

“Deixa esses caras (PT) fazerem o que eles quiserem. As rodadas de licitação não vão acontecer e aí nos vamos mostrar a todos que o regime antigo funcionava… e nós mudaremos de volta”, garantiu o senador José Serra (PSDB) à chefe de relações governamentais da Chevron no Brasil, Patrícia Pradal.

A promessa, feita em 2009 e vazada após o Wikileaks ter tido acesso a um telegrama da Embaixada dos Estados Unidos, está sendo cumprida à risca pelo tucano e demais entreguistas que agem contra a Petrobrás e o país.

Além do PLS 131, aprovado no Senado, no último dia 24, através de Substitutivo do senador Romero Jucá (PMDB), outros dois projetos correm em paralelo no Congresso Nacional, com o mesmo DNA: alterar as regras do Pré-Sal para acabar com o controle do Estado sobre os bilhões de barris de petróleo de alta qualidade que jorram destas jazidas.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, já se comprometeu em votar o PL 6726/13, do deputado Mendonça Filho (DEM/PE), que acaba com o regime de partilha. Proposta idêntica corre também no Senado, através do PLS 417, do tucano Aloysio Nunes.

Só com resistência, os trabalhadores e movimentos sociais poderão impedir esse retrocesso. 

FUP

Covardia do governo coloca em risco pré-sal e Petrobrás