Greve dos petroleiros levou debate da categoria para a grande mídia Greve dos petroleiros levou debate da categoria para a grande mídia

Diversos, Notícias, Tribuna Livre, Política | 20 de julho de 2018

gab_1443-2Um fato novo e que talvez tenha sido um diferencial para levar a pauta da greve dos petroleiros de 2018 aos quatro cantos do País foi o poder de vocalização de novos discursos – o que foi permitido com o advento da internet.

Nessa linha, o vídeo do coordenador do Sindipetro/MG, Anselmo Braga, em entrevista à Rádio Super, de Betim (MG), que viralizou nas redes sociais pode ter sido o que faltava para que o debate sobre os preços dos combustíveis atrelado ao mercado internacional como parte de uma estratégia para privatização da Petrobrás ganhasse a sociedade.

anselmo-entrevista

Em menos de uma semana, petroleiros de todo o País também cruzaram os braços e a mídia passou a dar espaço à denúncia que há quase dois anos vinha sendo feita pela FUP e seus sindicatos.

Só em Minas Gerais, foram mais de 60 reportagens sobre a greve da categoria ou sobre a política de preços dos combustíveis. Diretores do Sindipetro/MG concederam diversas entrevistas ao vivo em programas televisivos e em rádios de Minas e até mesmo do exterior. Também foram fontes de jornais e portais de notícias.

“Há dois anos vínhamos denunciando sobre as consequências da política privatista de Parente e Temer para a sociedade, mas não éramos ouvidos. Graças ao vídeo do Anselmo [Braga], à força da nossa categoria e ao timing da greve dos caminhoneiros levamos para a população a nossa narrativa sobre a crise do preço dos combustíveis: ao invés de focar na questão da carga tributária como principal responsável pelos aumentos, deslocamos a atenção dos brasileiros para a responsabilidade da atual direção da Petrobrás nesse apagão”, disse o diretor de comunicação do Sindipetro/MG, Felipe Pinheiro.

gab_0809-2A pauta foi levantada também pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que realizou duas audiências públicas na mesma semana e aprovou diversos requerimentos em favor dos petroleiros e do povo brasileiro – como a reversão da multa imposta aos sindicatos, o fim da política de preços dos combustíveis pareada ao barril de petróleo e ao mercado internacional e a saída de Pedro Parente da presidência da Petrobrás.

Diversos movimentos sociais que estão ao lado do Sindicato também apoiaram essa luta. Um ato convocado pela Frente Brasil Popular reuniu centenas de pessoas na Praça 7, centro de Belo Horizonte, nos dias que antecederam a greve dos petroleiros.

Já durante a paralisação, milhares de trabalhadores de diferentes categorias e representantes dos mais diversos movimentos ocuparam a portaria da Regap juntamente com os petroleiros e comemoraram juntos a demissão de Pedro Parente.

Greve dos petroleiros levou debate da categoria para a grande mídia