Sindicatos denunciam direção da Petrobrás na CVM por gestão temerária Sindicatos denunciam direção da Petrobrás na CVM por gestão temerária

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 28 de maio de 2020

Os Sindipetros de Minas Gerais e de outros nove estados (ES, RS, PR-SC, SP, BA, PE-PB e RN) ingressaram nesta quinta-feira (28) com representação na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Por meio do escritório Advocacia Garcez, as entidades denunciam a direção da empresa pela prática de gestão temerária em relação à política de desinvestimento praticada em meio à crise internacional do petróleo e à pandemia.

A representação argumenta que a venda de ativos estratégicos em um contexto de grande baixa no valor internacional do petróleo poderá colocar a rentabilidade da companhia em risco. O que causará desvio de seu fim social e, consequentemente, comprometendo a confiança dos investidores e acionistas.

Os números mostram que o foco quase exclusivo em Exploração e Petróleo, nas atuais circunstâncias, resultará em uma empresa de baixo lucro operacional bruto, de baixa geração de caixa operacional e lucratividade, comprometendo os pagamentos de dividendos para os acionistas, privados ou públicos.

Tais escolhas já causam impacto no cenário internacional. As ações da Petrobrás foram as que mais se desvalorizaram em 2020 dentre grandes empresas petrolíferas na Bolsa de Nova York.

A representação leva em conta ainda que enquanto companhia que negocia seus valores mobiliários em vários mercados, a Petrobrás pode ser considerada instituição financeira. Uma vez verificada a ausência da cautela necessária para a condução dos negócios, seus administradores estão sujeitos à culpabilização por gestão temerária.

Sindicatos denunciam direção da Petrobrás na CVM por gestão temerária