Voz da Base | Ao antigo GG: Já vai tarde! Voz da Base | Ao antigo GG: Já vai tarde!

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 12 de setembro de 2020

Conviver com chegadas e partidas de gerentes não é nenhuma novidade para a categoria. Mas a lamentável passagem do último gerente geral certamente marcou a história da Regap.

Em completa consonância com o atual governo, a Regap viveu tempos de autoritarismo, desprezo às pessoas e desrespeito às instituições. Não é a primeira vez que trabalhadores da refinaria demonstraram insatisfação com o comportamento de gerentes locais, mas talvez não houve na nossa história um chefe que considerasse a categoria como sua verdadeira inimiga.

Um destaque deve ser dado para sua relação com a organização dos trabalhadores – a luta e a resistência da categoria o irritava! Esse gerente tratou os trabalhadores e seu sindicato como criminosos, se negando a qualquer diálogo e usando de duas ferramentas típicas do bolsonarismo: a mentira e a repressão. Felizmente, foi obrigado a lidar com uma categoria que promoveu uma série de derrotas políticas para esse gerente – sejam nas mobilizações e assembleias do ACT 2019, seja na histórica greve de fevereiro de 2020.

É natural que, especialmente nesses tempos, haja divergências ainda maiores entre a categoria e a gestão da empresa. Os interesses jamais conciliáveis entre capital e trabalho se tornam ainda mais conflitantes quando o governo tem como meta a destruição dos nossos direitos e a privatização da Petrobrás. O que se espera dos gerentes, sejam os que ficam ou que estão para chegar, é que estejam dispostos ao diálogo respeitoso e que respeitem o ambiente democrático. Trata-se, no final das contas, de respeitar o direito a organização e luta dos trabalhadores, em defesa dos direitos e dos empregos de toda a categoria.

É hora, portanto, de virar essa página e seguir focado no que realmente importa: resistir e lutar contra a privatização da Petrobrás em Minas. Não há dúvidas de que a passagem desse chefe aloprado ficou registrada nas páginas mais infelizes da história da Petrobrás em Minas. Entretanto, a história haverá de julgá-lo e tratá-lo conforme seu tamanho: um nanico em relação à grandeza da história dessa categoria. Em um português claro: já vai tarde!

Autor: Peão de Luta

Voz da Base | Ao antigo GG: Já vai tarde!