Petrobrás é nossa, Petrobrás fica Petrobrás é nossa, Petrobrás fica

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 5 de outubro de 2020

Por seis votos a quatro, o Plenário do STF negou a medida cautelar ingressada pelas lideranças parlamentares que questionam o desvio de finalidade cometido pela gestão da Petrobrás ao transformar refinarias em subsidiárias para privatizá-las, sem autorização legislativa.

A decisão, apesar de ser em caráter liminar, já que o mérito da Reclamação ainda será julgado pelo STF, permite que o governo esquarteje não só a Petrobrás como outras estatais, criando subsidiárias para vender o patrimônio público, à revelia do Poder Legislativo.

“A nossa tarefa histórica se torna imprescindível agora. Precisamos levar informações para a sociedade sobre os malefícios que as privatizações da Petrobrás, Eletrobras, Correios, Cemig, Copasa e outros trarão. A nossa vitória só vai acontecer quando conseguirmos superar esse projeto econômico que quer o desmonte do estado brasileiro”, afirma o coordenador do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori.

Para o coordenador geral da FUP, Deyvid Bacelar “mais do que antes, precisamos fortalecer as mobilizações nas ruas e nas redes sociais, como fizemos nessas últimas semanas”, afirma, convocando os petroleiros e toda classe trabalhadora a permanecer mobilizados, participando das campanhas Petrobras Fica e das atividades contra as privatizações, como os atos deste sábado, no aniversário de 67 anos da estatal. Os petroleiros irão realizar uma grande mobilização ao longo de todo o dia, com atos nas bases, nas ruas e nas redes, em conjunto com diversas entidades sindicais e dos movimentos sociais.

O objetivo é dialogar com a população sobre a importância da luta em defesa das empresas públicas de todos os setores – petróleo, bancos, transporte e porto públicos, correios, eletricidade e saneamento, que estão sob a ameaça de extinção ou de privatização total ou parcial, o que pode afetar a vida de milhares de brasileiros e brasileiras.

Petrobrás é nossa, Petrobrás fica