Petrobrás garante lucro dos acionistas, mas nega PLR aos trabalhadores Petrobrás garante lucro dos acionistas, mas nega PLR aos trabalhadores

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 28 de outubro de 2020

Em plena negociação do acordo de regramento da PLR, a Petrobrás surpreendeu ao anunciar nesta quarta-feira, 28, que o Conselho de Administração alterou a política de remuneração dos acionistas, garantindo o pagamento de dividendos mesmo quando não houver lucro contábil.

Por outro lado, nas reuniões do GT da PLR a gestão negou distribuir aos trabalhadores a sua parte nos resultados quando não houver lucro. Ou seja: para os acionistas vale um conceito, para os trabalhadores, outro.

A notícia chegou um dia após a realização de reunião do Conselho Deliberativo da FUP que avaliou a proposta da Petrobrás para a PLR 2021. Nesta reunião foi reforçada a necessidade de buscar um modelo de regramento mais equânime e que atenda todos os trabalhadores do Sistema.

Assim, a FUP, indicou a rejeição da atual proposta da empresa, orientando os sindicatos a iniciarem as assembleias, assim que as subsidiárias encaminharem as minutas do acordo proposto.

Outro ponto que a FUP reforçou no GT foi que não pode haver redução de PLR por perseguições políticas. Além disso, os petroleiros querem que a empresa volte a fazer o adiantamento da PLR no início do ano, como sempre foi praticado, e que o acordo do regramento tenha validade por dois anos.

Rejeitar a atual proposta de PLR apresentada pela Petrobrás é o primeiro passo para que a FUP e os sindicatos possam voltar à mesa de negociação e buscar um modelo de regramento com menos distorções e que atenda todos os trabalhadores do Sistema.

Petrobrás garante lucro dos acionistas, mas nega PLR aos trabalhadores