Direito ao Voto: Sindipetro/MG denuncia gerência bolsonarista da Petrobrás na Justiça Eleitoral Direito ao Voto: Sindipetro/MG denuncia gerência bolsonarista da Petrobrás na Justiça Eleitoral

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 13 de novembro de 2020

Os Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais – Sindipetro/MG entrou com processo judicial, nesta sexta-feira (13), com o objetivo de garantir o direito de voto dos petroleiros e petroleiras.

Desde o início da semana, o Sindicato está atuando para assegurar esse direito. Na terça-feira (10), o Sindipetro enviou ofício a cada uma das unidades questionando como seria feita a liberação dos trabalhadores do turno para que pudessem votar.

Como não houve resposta aos ofícios, o Sindicato contratou um escritório jurídico eleitoral para tratar da situação. O escritório acionou a Justiça Eleitoral das cidades com unidades da Petrobrás em Minas: Betim, Ibirité, Juiz de Fora e Montes Claros. O processo foi protocolado nesta sexta-feira, às 11h

A reclamação surgiu a partir de determinação da gestão da Regap de impedir o voto ao não adequar as tabelas de turno para que os trabalhadores possam votar. Além de ilegal, a ação desrespeita o histórico da empresa de liberar os trabalhadores para votarem.

De acordo com o diretor Guilherme Alves, “o Sindipetro/MG vê como uma ação política muito assustadora a posição da gestão Regap de impedir a votação dos trabalhadores de turno. É absurdo uma vez que o direito de voto é historicamente garantido com alteração da escala de trabalho. Entendemos que a gestão bolsonarista tem interesse político ao fazer isso”, afirma o diretor.

O pedido tem por base o desrespeito ao código eleitoral, no que diz respeito ao “direito eleitoral”, “crimes contra o Sigilo ou o Exercício do Voto” e “impedimento ou Embaraço ao Exercício do Sufrágio”.

Até o fechamento desta matéria, a diretoria foi informada de que o Juiz de Betim já notificou a gerência da Regap e o de Montes Claros deu uma liminar a favor do pedido.