Saída de Castello Branco não basta. É preciso uma Petrobrás forte. Saída de Castello Branco não basta. É preciso uma Petrobrás forte.

Diversos, Notícias, Tribuna Livre | 23 de fevereiro de 2021

A notícia da demissão do então presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, foi um momento de euforia, sobretudo devido aos danos que a passagem dele causou à estatal.

No entanto, trocar o presidente da empresa não basta para que os preços dos combustíveis, como gasolina, diesel e gás de cozinha, abaixem. É preciso também suspender o Preço de Paridade Internacional (PPI) e interromper as privatizações.

Suspensão do PPI 

O PPI é uma política que passou a ser adotada em 2016, no Governo Temer, e continuada pelo Governo Bolsonaro. Na prática, quer dizer que o valor dos derivados do petróleo variam conforme o mercado internacional e a cotação do dólar. Assim, os combustíveis sofrem reajustes mais frequentes e cada vez mais abusivos. 

Assim, está nas mãos do Governo Federal baixar os preços dos combustíveis, definindo uma nova política que atenda aos interesses do povo. 

Entre janeiro de 2003 e junho de 2016, a Petrobrás optou por manter os preços dos derivados de petróleo mais estáveis, reduzindo o impacto internacional. Foi a partir de 2016, após o impeachment, que isso mudou. Agora, os preços dependem diretamente do mercado internacional e do dólar.

Interrupção das privatizações

É falsa a ideia de que vender as refinarias vai baixar os preços dos combustíveis. Na verdade, é exatamente o contrário. 

As vendas fazem parte de um programa de desinvestimento da empresa, que abre mão de sua liderança no refino brasileiro alegando a criação de uma concorrência – o que não é verdade.

Isso vai transformar a Petrobrás numa mera produtora e exportadora de petróleo, reduzindo seu valor no longo prazo e seu papel na economia nacional. 

Petrobrás – motor da economia brasileira

A solução definitiva para essa questão é fazer com que a Petrobras retome seu papel de protagonista da economia brasileira. 

A estatal tem potencial para ser o motor do desenvolvimento econômico e social do país.

Em todo o mundo, as petroleiras cumprem vem fortalecendo suas operações nos diversos segmentos da cadeia de petróleo, gás natural e energia, gerando empregos, negócios e renda, investindo em alta tecnologia e na capacitação de seu corpo técnico.

Diante da grave crise social e econômica pela qual o país passa, retomar o papel da Petrobrás como motor da economia é mais importante ainda.