Assembleias avaliam Acordo Coletivo

A resistência da categoria arrancou uma nova contraproposta da Petrobrás, avançando em 5 dos 6 pontos destacados
Foto: Sindipetro/MG

Encerra nesta sexta (16) a rodada de assembleias convocada pelo Sindipetro/MG para avaliação da quarta contraproposta da Petrobrás para o Acordo Coletivo de Trabalho 2022. Desde 8/09, a categoria em Minas e nas bases da Federação Única dos Petroleiros (FUP) segue aprovando a contraproposta por maioria dos votos.

A contraproposta prevê reajuste salarial acumulado no período pelo IPCA, manutenção das cláusulas do ACT anterior, com exceção das ajustadas nesse Acordo. A vigência será de 12 meses. Um dos avanços é a proteção contra as demissões sem justa causa, não só para os trabalhadores lotados em unidades ameaçadas de fechamento e venda, como é o caso da PBio e das refinarias, mas também para as demais áreas que estão recebendo os empregados desalocados.

Desde a entrega da pauta de reivindicações em 2 de junho, a categoria realizou assembleias e rejeitou
as contrapropostas com retirada de direitos apresentadas pela empresa. Na última rodada de assembleias, a categoria autorizou a FUP a priorizar seis pontos que vinham sendo tensionados pelos trabalhadores nas mesas de negociação.

Diante da atual conjuntura, não foi possível avançar em todos os itens priorizados, mas a resistência da categoria arrancou uma nova contraproposta da Petrobrás e das subsidiárias, avançando em cinco desses seis pontos. Dessa forma, evitando a perda de direitos históricos duramente conquistados pela categoria e o rebaixamento para a CLT, como pretendia a empresa.

“Pelo cenário atual de ataques agudos a todas as categorias de trabalhadores e trabalhadoras, já se
desenhava uma dificuldade em avançar mais sobre direitos perdidos ao longo do Governo Bolsonaro. Nesse contexto, não podemos minimizar a importância de uma renovação do nosso ACT e da nossa resistência que não permitiu a retirada de outros direitos”, avalia o coordenador-geral do Sindipetro/MG, Alexandre Finamori.