Sindicato faz assembleias e indica rejeição de contraproposta de ACT

Avaliação é de que a empresa tenta empurrar goela abaixo da categoria um ACT rebaixado, que chancela demissões, retira direitos e ataca aposentados e pensionistas

por Sindipetro/MG

Em 2019 a categoria petroleira esteve reunida no Sindipetro/MG reforçando o compromisso com a unidade petroleira e a defesa do Sistema Petrobrás

O Sindipetro/MG realiza até o dia 2/09 assembleias com indicativo de rejeição da terceira contraproposta apresentada pela Petrobrás e subsidiárias na mesa de negociação com a Federação Única dos Petroleiros (FUP) em 17/08. A avaliação é de que a empresa tenta empurrar goela abaixo da categoria um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) rebaixado, que chancela demissões, retira direitos, ataca aposentados, pensionistas, trabalhadores da ativa e as organizações sindicais.

Nas assembleias, a categoria também vai deliberar sobre a intensificação das mobilizações, a exigência de prorrogação do atual ACT até o fim das negociações, com garantia da data-base, e autorização para a FUP retomar as negociações, diretamente com o RH ou sob mediação do TST, priorizando seis pontos que atacam diretamente o ACT. A Petrobrás tenta pressionar as petroleiras e petroleiros com a narrativa de que essa é sua proposta final. “Não entendemos o dia 31/08 como a data limite para fechar o acordo. Isso é uma imposição da empresa que quer criar um clima de terror para acuar a categoria”, afirma Alexandre Finamori, coordenador geral do Sindipetro/MG.

Para avançar nas negociações, queremos:

  • Garantia de emprego no Sistema Petrobrás;
  • Manutenção do Acordo Regional do NF (Dia de Desembarque, Turno da Manutenção e Auxílio Deslocamentos);
  • Manutenção do Acordo Regional do NF (Dia de Desembarque, Turno da Manutenção e Auxílio Deslocamentos);
  • Limite de 13% para descontos da AMS;
  • Preservação dos adicionais de gasodutos e da operação da mestra nacional
  • (Transpetro);
  • Fim dos ataques à organização sindical;
  • Manutenção da relação trabalho x folga em 1 x 1,5, no regime de turno de 12h nos prédios administrativos;