Sindipetro/MG cobra troca de elevadores e medidas de segurança na HC

O Sindipetro/MG enviou um ofício, nesta quinta (10/11), para a Gerência Geral da Refinaria Gabriel Passos (Regap), questionando acerca da situação com o elevador da unidade de Hidrotratamento e do Coque (HC) e medidas de segurança para os trabalhadores.

Em julho deste ano, no ofício n°24, o Sindipetro/MG questionou a Gerência da Regap sobre a situação em que se encontravam os elevadores da unidade de Hidrotratamento e do Coque da Regap, cujo mau funcionamento prejudicava a rotina de trabalho dos petroleiros do setor. No entanto, quatro meses depois, a situação no Coque não só não foi corrigida como arranjaram uma solução que traz riscos de segurança. 

Foi instalada uma pequena oficina no sexto andar dos reatores para o trabalho com o transformador, uma vez que já não é possível seus deslocamentos pelo elevador. O Sindicato solicita uma solução urgente e que seja apresentado um plano de manutenção e troca dos elevadores do setor. 

Ainda, no Coque, na última semana, foram registradas duas ocorrências de trinca na torre 52C2 com vazamento de produto e início de incêndio. A situação coloca os operadores do setor em risco. Portanto, é urgente que a Gerência averigue e apresente as causas que levaram às ocorrências, assim como apresente o que está sendo feito e planejado para que situações como essas não se repitam não só na Regap, mas em outras refinarias, como vem ocorrendo desde o petróleo do pré-sal passou a ser recebido. 

“Garantir a integridade física e segurança no local de trabalho é uma das tarefas pelas quais o sindicato preza, em especial em um momento como o que vivemos em que a precarização das condições de trabalho chega a patamares históricos”, afirma Alexandre Finamori, coordenador-geral do Sindipetro/MG.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.