Bomba-Relógio: Ocorrência em amostrador de H2 expõe precarização na Regap Bomba-Relógio: Ocorrência em amostrador de H2 expõe precarização na Regap

Notícias | 10 de setembro de 2021

No dia 01 de setembro, enquanto uma operadora da HDT  realizava uma amostra de gás hidrogênio na U-210, por volta das 10h, um mangote se soltou da linha rígida. Segundo a própria gerência, a ação da operadora foi adequada. Mas o sindicato alerta que é uma pressão muito alta, e o mangote poderia ter rompido e pegado fogo. Caso isso acontecesse, a trabalhadora e outro operador que estava perto teriam queimaduras graves, e correriam risco de vida, diante do alto potencial de risco envolvido. Esse amostrador é um caso antigo, pois há tempos não passa por revisão. 

A situação não foi agravada porque tinham dois operadores na tarefa e possibilitou que a ocorrência fosse contornada de forma mais rápida e eficiente. “Isso reforça a importância do número mínimo correto, sem redução de postos de trabalho, assim como a reposição de efetivo”, enfatiza Alexandre Finamori, coordenador do Sindipetro /MG. “No passado, já tivemos trabalhadores queimados por causa do descaso da gestão com o sistema de amostragem. Mesmo assim, a gerência ignora os riscos e volta a cometer os mesmos erros”, completa. 

Já foram registradas falhas de amostradores de GLP, de Água Ácida, Diesel , soda e outros tantos que já foram avisados que oferecem riscos para as pessoas. O sindicato alerta que os trabalhadores não devem usar amostradores impróprios. Caso encontrem algum em situação insegura, comunique um diretor do sindicato ou escreva para: diretoria@sindipetromg.org.br ou +55 31 8417-5352.

Como o Sindipetro/MG já vem alertando há muito tempo, a Regap é hoje uma bomba-relógio e esse empilhamento de ocorrências é uma comprovação disso. Ainda assim, os gestores insistem em . atitudes que colocam em risco a vida dos trabalhadores e da comunidade do entorno, como a redução de número mínimo, a terceirização irrestrita e o sucateamento das unidades.